Surfistas polares e as altas manobras do Ártico

Você se aventuraria a surfar nas águas congelantes do Ártico?

Você se aventuraria a surfar nas águas congelantes do Ártico?

Tatyana Elizaryeva
O surfista Serguêi Rasshivaev conta como é enfrentar águas congelantes para entrar no tubo.

Morador de São Petersburgo, Serguêi Rasshivaev começou a surfar aos 23 anos e logo percebeu que aquele era o esporte da sua vida.

Ele já conquistou todos os oceanos, surfando em lugares tão remotos que é quase impossível imaginar uma prancha neles.

Rasshivaev também abriu sua própria agência de viagens, que ajuda a organizar organizar tours para surfar, e fundou sua própria escola para ensinar o esporte.

Morador de São Petersburgo, Serguêi Rasshivaev começou a surfar aos 23 anos.

Até que, após ter surfado em todos os outros oceanos, só faltava Serguêi tentar o Ártico. Ele relata sua experiência, que documentou também em fotos:

Rasshivaev também abriu sua própria agência de viagens, que ajuda a organizar organizar tours para surfar.

“Já havia surfado em águas geladas, por isso não fiquei com medo da primeira vez. Mas, depois, houve momentos assustadores. Uma vez, quase me afoguei em ondas gigantes.”

Visual compensa o frio do Ártico.

“Para aguentar as temperaturas congelantes, é preciso usar um bom traje para surfar. E assim que sair da água é necessário vestir roupas secas e se aquecer.”

É preciso ter um bom traje de surfe devido às temperaturas.

“No Norte, assim como em todos os lugares da Rússia, a temporada de surfe dura o ano todo. Apenas em São Petersburgo as pessoas param de surfar quando o gelo dá as caras.”

Muitos estrangeiros surfam na península do Kamtchatka.

“Amo surfar em São Petersburgo. Na Rússia, já surfei em Vladivostok, nas ilhas Cutilas, em Kamchatka, no Mar Negro, no Daguestão e em Kaliningrado. Entre os lugares quentes, prefiro a República Dominicana e as ilhas Maldivas.”

Só em São Petersburgo russos param de surfar no inverno, segundo Serguêi.

“Tenho um amigo italiano que sempre visita São Petersburgo e também surfa.”

Todas as dificuldades de uma viagem de surfe na Rússia podem ser contornadas.

“Recomendo aos estrangeiros que surfem na Rússia. Muitos estrangeiros surfam em Kamchatka.”

Surfar na Rússia não é sobre pegar a onda perfeita.

“Claro que é preciso entender que uma viagem de surfe na Rússia não é sobre pegar a onda perfeita. Mas é uma ótima razão para explorar nosso país.”

Infraestrutura é pouco desenvolvida, mas explorar a Rússia vale a pena.

“Tente surfar em qualquer parte da Rússia, mas, como um estrangeiro, saiba que pode haver alguma dificuldade: a maior parte das cidades tem uma infraestrutura pouco desenvolvida, e não são todos que falam inglês. Nas ilhas Curilas e em outras regiões de fronteira, pode haver problemas para conseguir um visto. Mas todos esses obstáculos podem ser resolvidos.”

Aurora Boreal, efeito no céu que só pode ser visto de regiões polares.

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies