‘Quiseram fazer filme de Hollywood’, diz ministro sobre defesa de Sharapova

Advogados de Sharapova entraram com recurso junto ao  Tribunal em Lausanne

Advogados de Sharapova entraram com recurso junto ao Tribunal em Lausanne

Reuters
Mutko criticou coletiva de imprensa em que atleta confessou uso de substância proibida. Suspensa por dois anos, tenista não poderá participar dos Jogos no Rio de Janeiro.

O ministro dos Esportes russo, Vitáli Mutko, criticou a defesa da tenista russa Maria Sharapova, que no último dia 8 foi suspensa por dois anos pela Federação Internacional de Tênis (ITF, na sigla em inglês), por comprovação de doping durante o Aberto da Austrália.

Sharapova admitiu, em uma coletiva de imprensa especialmente convocada em março passado, que dois meses antes havia testado positivo para meldonium, uma substância que entrou para a lista da Agência Mundial Antidoping (Wada) em 1º de janeiro de 2016.

“Eles quiseram fazer coisas como em um filme de Hollywood, fazendo declarações ao vivo. Não, as coisas são feitas assim. O advogado deveria ter pensado melhor. Ele cobra um salário suficientemente alto para levar esse caso mais a sério”, declarou Mutko à agência R-Sport.

O ministro alegou ainda que a polêmica envolvendo o doping de Sharapova estaria relacionada com a crise das relações russo-americanas.

“O advogado (e sua equipe) escolheram o caminho de reconhecer tudo em público. Essas coisas não venham ao caso agora, já que a Rússia está no centro das atenções”, acrescentou Mutko.

A defesa da tenista Maria Sharapova apresentou um recurso junto ao Tribunal Arbitral do Esporte, em Lausanne. Caso a medida não seja revogada, a atleta ficará impossibilitada de participar dos Jogos Olímpicos no Rio de Janeiro.

Publicado originalmente pela agência esportiva RS Sport

Gostaria de receber as principais notícias sobre a Rússia no seu e-mail?  
Clique aqui para assinar nossa newsletter.

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.