Lapta, o beisebol russo de meio milênio

Em Púchkino, perto de Moscou, entusiastas organizam jogos de lapta ao ar livre no verão

Em Púchkino, perto de Moscou, entusiastas organizam jogos de lapta ao ar livre no verão

Lori/Legion Media
Jogo era praticado no Império Russo como parte do treinamento de soldados.

Dicionários e enciclopédias definem o lapta como “jogo esportivo tradicional russo”, mas hoje em dia a probabilidade de você ver esse jogo sendo praticado na Rússia é quase igual à chance de se deparar com um urso andando na rua.

No entanto, se você tiver sorte e conseguir assistir a uma partida, o mais provável é que irá entender o que está acontecendo na quadra tão bem quanto a maioria dos russos, ou até melhor. A razão disso é simples: o lapta é muito parecido com o beisebol, extremamente popular em muitos países, como Estados Unidos e Japão, mas pouco conhecido na Rússia.

Seria mais correto dizer que é o beisebol que se parece com o lapta, pois esse esporte surgiu e começou a ganhar popularidade nos Estados Unidos apenas no século 19, enquanto o lapta é pelo menos 400 anos mais antigo.

História

Durante escavações em Veliki Novgorod (540 quilômetros a nordeste de Moscou) foram descobertos bolas e tacos utilizados nesse jogo, datados do século 14. No século 18, o lapta foi utilizado como um componente importante do treinamento físico dos soldados do Exército do tsar Pedro I.

Posteriormente, o jogo passou a ser exclusivamente uma forma de lazer, até que, após a revolução de 1917, o primeiro Comissário do Povo para Assuntos Militares (cargo existente durante o regime soviético, análogo ao cargo de Ministro), Nikolai Podvoiski, ordenou que o lapta fosse integrado ao programa de treinamento dos soldados do Exército Vermelho. Hoje em dia, o lapta não é mais praticado pelo Exército russo.

Como jogar

Para jogar lapta é preciso formar dois times, com no mínimo três pessoas em cada um. Joga-se com uma bola pequena de borracha (pode ser usada uma bola de tênis) e com tacos. O taco tradicional para lapta tem forma de pá, mas atualmente também são usados tacos redondos, muito parecidos com os de beisebol.

O jogo é praticado em quadras com 30 a 40 metros de largura e 40 a 55 m de comprimento. Uma parte do campo é chamada de "kon" e a outra de "gorod" (cidade). Na parte "gorod" ficam os jogadores do time que vai lançar a bola, enquanto os adversários se distribuem na parte "kon". Um jogador do time atacante, com a ajuda do taco, lança a bola o mais distante possível, corre para a outra metade do campo e depois de atravessá-la retorna para a parte “gorod”.

Enquanto ele corre, os adversários tentam pegar a bola rapidamente e acertar com ela o oponente. Se conseguirem fazer isso, um jogador da parte “kon” deve ir para a parte “gorod”. Se não acertarem, apenas devem devolver a bola. O jogador que está correndo tenta voltar para sua “casa” antes que a bola retorne à parte “gorod”. Caso contrário, ele deverá voltar para trás da linha do ”kon” e correr novamente, assim que outro jogador de seu time lançar a bola.

Considera-se que um time ganhou o jogo quando todos os seus integrantes tiverem lançado a bola e conseguido retornar para a parte “gorod”.

Infográfico: Alena RépkinaInfográfico: Alena Répkina

Onde jogar

Atualmente, o lapta perdeu a popularidade na Rússia. As crianças de hoje conhecem esse jogo apenas através dos livros ou dos filmes, e assistir a um jogo de lapta ao vivo não é uma tarefa fácil.

Quem quiser conhecer melhor o jogo deve fazer uma visita à cidade de Púchkino (35 km a nordeste de Moscou), pois há vários anos entusiastas locais organizam jogos de lapta ao ar livre, no verão.

"É muito fácil aprender a jogar lapta. Para entender as regras basta ficar observando os jogadores por um tempo. Tudo é muito emocional. Claro que podem ocorrer acidentes, mas é interessante. Alguns anos atrás, quando vi como meus amigos jogavam, eu mesma resolvi tentar. É bom pensar que você está fazendo algo raro, ao invés de jogar, digamos, futebol ou basquete", disse Arina Prokopovitch, praticante do esporte.

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.