Tribos russas faltarão a Jogos Indígenas em Palmas por falta de verba

A ideia de tornar os jogos internacionais já é antiga entre os povos nativos e a ONU.

A ideia de tornar os jogos internacionais já é antiga entre os povos nativos e a ONU.

Iuri Muravin/TASS
Populações nativas russas não conseguirão viajar ao Brasil em outubro, quando acontecerão disputas.

Por falta de verba para a viagem, algumas populações indígenas russas não estarão representadas na primeira edição dos Jogos Mundiais dos Povos Indígenas, que será realizada em Palmas, no Tocantins, em outubro. É o caso dos "úgri", da região setentrional russa de Khánti-Mansiisk - que concentra 58% do petróleo extraído no país.

Da Rússia, também foi convidado um campeão mundial de boxe de etnia úgri, Ruslan Provodnikov.

Em entrevista à agência local de notícias IugraPro, o presidente da Federação dos Esportes Étnicos Úgri, Aleksêi Klauzer, explicou a negativa ao convite.

"Os úgri não irão aceitar o convite para participar da primeira edição dos Jogos Mundiais dos Povos Indígenas. O diretor do departamento de esportes da Região Autônoma de Khánti-Mansiisk não aprova tais eventos e não fornece dinheiro para tanto. O governo úgri não considera a questão. Em reunião em Moscou, o ministro dos Esportes da Federação da Rússia sutilmente deixou entender que não se pode confundir 'povos nativos' e 'povos nativos em minoria', por isso não considera razoável que cada região envie ao Brasil sua equipe", disse Klauzer.

A ideia de tornar os jogos internacionais já é antiga entre os povos nativos e a ONU, mas só neste ano o evento foi internacionalizado.

Versão reduzida de material publicado pelo portal Ugrapro.Ru.

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies