Tribos russas faltarão a Jogos Indígenas em Palmas por falta de verba

A ideia de tornar os jogos internacionais já é antiga entre os povos nativos e a ONU.

A ideia de tornar os jogos internacionais já é antiga entre os povos nativos e a ONU.

Iuri Muravin/TASS
Populações nativas russas não conseguirão viajar ao Brasil em outubro, quando acontecerão disputas.

Por falta de verba para a viagem, algumas populações indígenas russas não estarão representadas na primeira edição dos Jogos Mundiais dos Povos Indígenas, que será realizada em Palmas, no Tocantins, em outubro. É o caso dos "úgri", da região setentrional russa de Khánti-Mansiisk - que concentra 58% do petróleo extraído no país.

Da Rússia, também foi convidado um campeão mundial de boxe de etnia úgri, Ruslan Provodnikov.

Em entrevista à agência local de notícias IugraPro, o presidente da Federação dos Esportes Étnicos Úgri, Aleksêi Klauzer, explicou a negativa ao convite.

"Os úgri não irão aceitar o convite para participar da primeira edição dos Jogos Mundiais dos Povos Indígenas. O diretor do departamento de esportes da Região Autônoma de Khánti-Mansiisk não aprova tais eventos e não fornece dinheiro para tanto. O governo úgri não considera a questão. Em reunião em Moscou, o ministro dos Esportes da Federação da Rússia sutilmente deixou entender que não se pode confundir 'povos nativos' e 'povos nativos em minoria', por isso não considera razoável que cada região envie ao Brasil sua equipe", disse Klauzer.

A ideia de tornar os jogos internacionais já é antiga entre os povos nativos e a ONU, mas só neste ano o evento foi internacionalizado.

Versão reduzida de material publicado pelo portal Ugrapro.Ru.

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.