Jovem fisiculturista aproveita força para emplacar ações sociais

Naumova: "“Quando eu vi Arnold, não consegui segurar a emoção e comecei a chorar" Foto: arquivo pessoal

Naumova: "“Quando eu vi Arnold, não consegui segurar a emoção e comecei a chorar" Foto: arquivo pessoal

Em encontro com Arnold Schwarzenegger, Mariana Naumova entregou fotos e cartas de crianças de Donbass. Além de visitar áreas afetadas na Ucrânia, jovem de 15 anos já realizou diversas seminários na Coreia do Norte.

Tricampeã mundial no supino reto com barra, Mariana Naumova, 15 anos, não só fez sucesso na competição Arnold Classic, realizada no início de março na cidade americana de Columbus, como teve um encontro com o lendário Arnold Schwarzenegger. “Quando eu vi Arnold, não consegui segurar a emoção e comecei a chorar.  Para mim, ele sempre foi um modelo”, disse Naumova à Gazeta Russa.

No encontro com o heptacampeão do concurso Mr. Olympia, Mariana até sugeriu a Arnold, em tom de brincadeira, que se tornasse presidente dos Estados Unidos para “melhorar as relações com a Rússia”. A atleta russa aproveitou para entregar ao ex-governador da Califórnia fotos e cartas de crianças de Donbass.

“Ele prometeu ler todas as cartas das crianças e ajudá-las de todas as formas possíveis. Para mim é uma vitória pessoal. Espero que no futuro próximo a crise ucraniana acabe e a paz se restabeleça de novo”, contou a atleta.

Durante as competições nos EUA, Naumova teve que pedir a ajuda de instrutores e assistentes americanos, porque o seu treinador pessoal, Aleksêi Serebriakov, teve o visto denegado. Mas nem isso a impediu de levantar a barra com peso de 150 kg e estabelecer um novo recorde mundial entre as adolescentes.


Naumova é tricampeã mundial no supino reto com barra Foto: arquivo pessoal

Além de uma carreira esportiva bem-sucedida, a jovem de 15 anos participa ativamente de várias missões humanitárias ao redor do mundo. No ano passado, realizou vários seminários em escolas da Coreia do Norte, bem como visitou Donetsk e Lugansk – o que lhe rendeu a perda de prêmios e títulos conquistados na Ucrânia.

Mesmo assim, Naumova não tem dúvidas de que é necessário ajudar as pessoas carentes de todas as maneiras possíveis. “Assim me educaram meus pais: se você tem algo, então você tem que dividir isso com os outros.”

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.