Frio não impede avanço do motociclismo

Surgido na época da União Soviética, o motociclismo como esporte profissional continua se desenvolvendo na Rússia moderna, formando novos campeões mundiais de motocross, speedway e enduro. Apesar das condições climáticas desfavoráveis, os atletas russos continuam com os treinamentos durante o ano todo.

Com esportistas de destaque em modalidades como Free Style Motocross, Stunt-Riding e corridas de velocidade, a Rússia desenvolve o motociclismo apesar do clima desfavorável em boa parte do ano.  

Aleksêi Kolésnikov, modalidade motocross de estilo livro, participante dos campeonatos Nitro Circus e Red Bull X-Fighters

Comecei a treinar aos 12 anos de idade e assim que atingi certo nível de preparo, passei a participar das competições de enduro. Em 2005, conquistei o título de Campeão da Rússia de motocross. O sucesso nesta modalidade, no entanto, me fez mudar para o motocross de estilo livre e começar tudo de novo.

O motocross de estilo livre como esporte nasceu em 1998 nos Estados Unidos, mas no momento do meu ingresso não havia nenhum técnico ou campo de treinamento no território russo, o que me obrigou a virar um verdadeiro pioneiro nesta área, assistindo às gravações de apresentações dos meus colegas na minha própria casa e tentando reproduzi-los por conta própria, aperfeiçoando a técnica.

Apesar do certo grau de perigo que os atletas correm praticando esse esporte, acredito que ele é mais seguro do que as corridas de motociclismo tradicionais, pois não há nem risco de colisão com outros participantes, nem a necessidade de dirigir a moto pelas estradas de terra durante horas. Sou muito disciplinado e esta é a minha principal qualidade, que permite demonstrar o meu verdadeiro nível de preparo e testar os meus limites. A modalidade não deixa espaço para dúvidas: a insegurança ou medo podem causar traumas sérios.

Embora seja próximo ao nível de profissionalismo dos colegas estrangeiros, o preparo dos motociclistas russos ainda não o alcança devido às condições climáticas e invernos frios da Rússia, que dificultam os treinamentos e aumentam o risco de traumatismo, o que, no entanto, não impede a prática do esporte em qualquer estação do ano.

Fonte: Gazeta Russa

Retiramos a camada da neve dos campos de treinamentos, colocamos pneus com pregos nas rodas e revestimento emborrachado nas rampas e pistas de aceleração e continuamos aperfeiçoando as nossas habilidades. Precisamos lidar com essa realidade, apesar de todas as dificuldades.

Foma Kalínin, 12 anos, bicampeão do leste europeu de Stunt Riding

O motocross, quadrocross e supermoto são os meus esportes preferidos e já me trouxeram os títulos de Campeão de São Petersburgo e do Distrito Federal de Noroeste em várias categorias. Sob a orientação do meu pai, que também é o meu treinador, comecei a praticar Stunt Riding aos dois anos de idade. 

Além de ser um esporte fascinante e complexo, o Stunt Riding pode ser considerado uma modalidade artística, que permite desenvolver o próprio estilo, criar novos elementos, programas e até a sua tendência esportiva única. Cada praticante é uma espécie de apresentador capaz de surpreender os espectadores com truques de alto nível de complexidade. Em comparação com outros esportes que valorizam a técnica, o Stunt Riding é um dos mais acessíveis e econômicos.

No entanto, os eventos de entretenimento nesta modalidade são mais frequentes que as disputas de títulos, o que obriga os praticantes russos a fazerem viagens internacionais para testar as suas habilidades. Dois anos atrás, a Federação de Stunt Riding baixou a idade mínima de participação das competições europeias para 10 anos, portanto, em 2013 e 2014, consegui ganhar o Campeonato Leste Europeu e o Interio Stunt Cup.

Tatiana Semiónova, campeã russa de corridas de moto e membro da equipe RWT-Motorsport

Num dos meus passeios pelo bairro moscovita de Vorobiévi Góri, tradicional local de encontro dos motociclistas da capital russa, fiquei tão fascinada com os jovens correndo de moto e apresentando vários truques que no dia seguinte me matriculei no curso de direção. Após andar de moto pelas vias da cidade durante alguns meses, resolvi me inscrever no Campeonato da Rússia de corridas, porém três meses antes da data da competição me senti despreparada e comecei a treinar diariamente. Apesar de uma forte queda e o consequente trauma das mãos poucos dias antes da disputa, não desisti da prova, mesmo tomando um coquetel de analgésicos.

O motociclismo é um esporte que me domina e fortalece, me dando ainda mais disposição para alcançar os meus objetivos. O medo e dificuldades enfrentados no início aumentam a sensação de satisfação pelos limites superados e metas atingidas.

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.