A importância de Fabio Capello para a seleção

A contratação de Capello, um dos melhores técnicos de futebol do mundo, faz parte da agenda de preparação da equipe nacional para a Copa do Mundo de 2018 da Rússia Foto: TASS

A contratação de Capello, um dos melhores técnicos de futebol do mundo, faz parte da agenda de preparação da equipe nacional para a Copa do Mundo de 2018 da Rússia Foto: TASS

Ex-técnicos e ex-jogadores avaliam as perspectivas da permanência do atual técnico da equipe nacional de futebol no posto até a Copa do Mundo de 2018. Rússia disputa eliminatórias da Eurocopa de 2016.

No dia 15 de novembro, no estádio Ernst-Happel, em Viena, a seleção da Rússia vai enfrentar a equipe da Áustria, líder do grupo G, pelas eliminatórias para a Eurocopa-2016. No entanto, a preparação psicológica dos russos para o jogo que promete ser decisivo foi dificultada pelo empate inesperado por 1 a 1 com a seleção da Moldávia e por quatro  meses de atraso no pagamento do salário do técnico Fabio Capello, por motivo da falta de recursos financeiros nos cofres da União de Futebol da Rússia, cujas dívidas atuais atingem US$ 23,5 milhões. 

Recebendo um salário anual de 9 milhões de euros, Capello é o treinador de seleção nacional mais caro do mundo, seguido por Roy Hodgson, comandante da equipe inglesa, com custo anual de 4,7 milhões de euros. Apesar de não estar contente com os atrasos nos pagamentos, Filippo Capello, filho e empresário de Fabio, afirma que o técnico não tem intenção de usar mecanismos judiciais para resolver o problema e prefere estabelecer um acordo.   

Segundo diferentes fontes, a multa de cancelamento antecipado do contrato varia de 18 a 25 milhões de euros.  A Gazeta Russa ouviu analistas sobre a possível demissão do Capello e o destino da seleção da Rússia. 

Egor Titov, ex-jogador da seleção da Rússia e do Spartak, hexacampeão nacional 

Sou a favor da permanência de Capello devido à sua grande dedicação à equipe. Fábio passa bastante tempo na Rússia e está presente em quase todos os jogos do campeonato nacional, ao contrário dos seus antecessores Dick Advocaat e Guus Hiddink, que participavam apenas dos treinamentos finais da seleção. Além disso, o técnico italiano não tem medo nem de chamar jogadores jovens e talentosos, nem de mexer na equipe. A troca de gerações de jogares baixa o desempenho da seleção, portanto, os torcedores russos devem ser pacientes. Com a exceção do jogo com a Moldávia, a equipe joga bem, graças ao trabalho de Capello. 

Sandor Varga, agente de futebol da FIFA

A contratação de Capello, um dos melhores técnicos de futebol do mundo, faz parte da agenda de preparação da equipe nacional para a Copa do Mundo de 2018 da Rússia. Não entendo o motivo das recentes falhas na realização deste programa. Vale ressaltar que os contratos com os técnicos anteriores, tais como Dick Advocaat e Guus Hiddink, haviam sido patrocinados pelo monopólio de gás Gazprom e pelo oligarca Roman Abramovitch, respectivamente, enquanto as despesas referentes à contratação de Capello são da inteira responsabilidade da União de Futebol da Rússia, que não possui recursos orçamentários suficientes para arcar com os salários do técnico.

Na pior das hipóteses, a seleção russa não será prejudicada pela saída de Fabio. Apesar de ele ser um profissional renomado, o futebol russo oferece boas opções caseiras. Se eu pudesse, emitiria uma proibição oficial de contratar técnicos estrangeiros para trabalhar com as equipes nacionais, pois as barreiras linguísticas e diferenças culturais prejudicam o resultado final. Na minha opinião, Gadji Gadjiev, Stanislav Tchertchessov e Leonid Slutski são candidatos adequados para ocupar o lugar de Capello. 

Andrêi Kantchelskis, antigo meio-campo da seleção da Rússia e do Manchester United

Acredito que os dirigentes da equipe russa devem manter um profissional eficiente como Capello no seu atual posto e fazer de tudo para pagar os salários atrasados. Apesar de muitos terem ficado decepcionados com o desempenho da seleção russa na Copa do Mundo de 2014, é muito cedo fazer qualquer conclusão. O contrato dele termina apenas em 2018, portanto, ele ainda terá duas chances para demonstrar os resultados do seu trabalho. 

Gueorgui Iártsev, ex-técnico da seleção da Rússia e Spartak de Moscou, campeão russo de 1996 

Devido ao baixo nível desta geração de jogadores, a seleção russa não fará proveito do treinador mais bem pago do mundo. Como tivemos chance de observar durante a Copa do Mundo no Brasil e nos últimos jogos, a equipe russa é incapaz de ir até a etapa final dos campeonatos mundial e europeu. Mas para isso não precisamos de Capello, basta um técnico formado na Rússia. Apesar dos ótimos resultados atingidos na posição de mentor de equipes de clubes de futebol, nem a seleção inglesa, nem russa obtiveram grande sucesso sob a sua liderança até agora.  E tenho um péssimo pressentimento em relação ao próximo jogo com a Áustria.

Denis Kolódin, medalhe de bronze do Campeonato Europeu de 2008 e zagueiro do Volga, de Níjni Novgorod

Acredito que Capello pode ser substituído por muitos técnicos russos, tais como Serguêi Senak, Igor Kolivanov ou Aleksandr Borodiúk. Dar uma chance a um profissional russo em início de carreira para que ele possa ganhar experiência e autoridade antes da Copa do Mundo de 2018 não seria uma má ideia. Além disso, a falta de recursos necessários é um motivo sério para cancelar o contrato com Capello e poupar dinheiro a ser investido no futebol infanto-juvenil. Acredito que a seleção russa será capaz de garantir uma vaga no Campeonato Europeu sem contar com a ajuda do Capello. 

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.