Os campeões dos campeões

Conheça os atletas russos que conquistaram a maior quantidade de medalhas ao longo de suas carreiras.

Anastasia Davydova,nado sincronizado 

Foto: Alamy/Legion Media

As cinco medalhas olímpicas de ouro na conta da moscovita Anastasia Davydova são um recorde na natação sincronizada. A atleta conquistou seus dois maiores prêmios em Atenas (em dupla com Anastasia Ermakova e em grupo), em 2004, outras duas medalhas em Pequim (dupla com Ermakova e em grupo), em 2008, e a quinta medalha ela ganhou em Londres-2012, em grupo. Além disso, ganhou 13 medalhas de ouro em Campeonatos Mundiais, e sete em Campeonatos Europeus.

De acordo com a atleta, as medalhas Olímpicas de Atenas foram as mais difíceis – no final da apresentação da equipe russa, a música de acompanhamento foi repentinamente desligada. Pelas regras, a apresentação deveria ser repetida. Mas onde buscar energia? Afinal, o programa era difícil e requeria precisão meticulosa e impacto físico máximo.

“É claro que foi muito desagradável. Eu ainda me lembro como me senti quando a música parou. Eu não tinha nenhuma preocupação específica. Tinha uma confiança interna de que tudo ia dar certo: ‘agora vão ligar a música, e nós faremos tudo o que foi planejado’”, declarou Davydova, após o campeonato.

Evguênia Kanaeva, ginástica rítmica 


Foto: RIA Nóvosti

Considerando o número de medalhas conquistadas em competições internacionais, o primeiro lugar cabe à ginasta Evguênia Kanaeva, 24 anos. Bicampeã olímpica, venceu em Pequim-2008 e Londres-2012. Também foi 17 vezes campeã mundial, inclusive tricampeã na ginástica rítmica, e tetracampeã dos Jogos Mundiais de 2009 – considerados “as Olimpíadas entre as modalidades não olímpicas”. 

Em 2009, Evguênia foi a primeira na história da ginástica rítmica a ganhar um conjunto completo de medalhas de ouro (6 medalhas no total) em um único campeonato mundial. Dois anos depois, repetiu essa conquista. Em 2011, bateu mais um recorde: em Brno , na República Tcheca, Kanaeva foi a primeira entre a demais ginastas a ganhar por apenas um exercício o número máximo possível de pontos.

“Se você é uma pessoa positiva, com pensamentos saudáveis​​, não briga e não tem conflitos – com a exceção de certas situações –, no esporte você  também terá  uma  certa harmonia”, disse a atleta sobre as suas vitórias. O futuro de Kanaeva no esporte é, no entanto, uma incógnita. A atleta está se preparando para ser mãe, e a grande questão é se haverá motivação para retomar a carreira. 

Pável Kabanov, mergulho e nado de velocidade com pé de pato


Foto: arquivo pessoal

O nadador Pável Kabanov, 39 anos, é considerado por muitos o rei dos esportes não olímpicos. Nascido em Iaroslavl, foi 17 vezes campeão mundial, e 16 vezes campeão europeu em nado com pé de pato. Também foi tricampeão dos Jogos Mundiais – duas vezes em 2005, e uma em 2013. Atualmente, Kabanov é o recordista mundial em natação e mergulho em distância de 50 metros, e recordista mundial em revezamento de 4x100 metros. 

“Nossa modalidade não está incluída nos Jogos Olímpicos, e dessa maneira é  impossível viver com o dinheiro do esporte. Por isso, não há como dedicar dias inteiros à natação.  Todos os atletas, além da natação, têm um emprego”, conta  Kabanov. Segundo ele, o ideal seria treinar duas vezes ao dia, mas os nadadores conseguem  treinar apenas uma vez por dia. “E nessa situação está a maioria dos atletas de Novosibirsk. Claro que isso pode afetar os resultados, mas mesmo assim nós tentamos manter um bom nível.”

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.