SEAE rejeita ideia da UE de trocar sede da Copa de 2018

Copa de 2018 será realizada em 11 cidades russas Foto: ITAR-TASS

Copa de 2018 será realizada em 11 cidades russas Foto: ITAR-TASS

A União Europeia não pode tirar à Rússia o direito de sediar a Copa do Mundo de 2018, informou o Serviço Europeu para a Ação Externa (SEAE) à agência Itar-Tass. Órgão responsável pela política externa da UE garante que decisão da Fifa não pode ser revogada.

A Fifa concedeu, em 2010, o direito à Rússia de sediar a Copa do Mundo de 2018, “uma decisão que não foi tomada pela União Europeia e, portanto, a UE não está em posição de anulá-la”, disseram os representantes do SEAE.

A questão da participação de equipes nacionais em eventos esportivos de grande porte deve ser tratada entre os Estados-membros da UE e suas federações esportivas, acrescentou um funcionário do serviço.

A imprensa alemã havia informado que a União Europeia pretendia tirar da Rússia o direito de sediar competições esportivas internacionais – em particular, a Copa do Mundo de 2018, a etapa da Fórmula 1 em Sôtchi, e o Campeonato Mundial de Hóquei no Gelo, em 2016.

O ministro dos Esportes russo, Vitáli Mutko, disse que o uso de sanções contra o país na esfera eventos esportivos internacionais não poderia ser descartado, mas não havia nenhum pré-requisito para isso.

“Qualquer coisa pode acontecer, e nós lembramos dos boicotes às Olimpíadas. No entanto, partimos do pressuposto de que o esporte deve ser separado da política. Os esportes devem ser um tipo de força unificadora. Os atletas são pessoas que treinam duro, preparando-se para as competições, e não devem ser privados dessa oportunidade”, finalizou Mutko.

 

Publicado originalmente pela agência Itar-Tass

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.