Ideia de ‘seleção modelo’ para campeonatos nacionais é utópica, diz Capello

Técnico italiano Fabio Capello assumiu a equipe e garantiu uma vaga para a seleção nacional na Copa do Mundo de 2014, no Brasil Foto: Reuters

Técnico italiano Fabio Capello assumiu a equipe e garantiu uma vaga para a seleção nacional na Copa do Mundo de 2014, no Brasil Foto: Reuters

Federação Russa de Futebol sugeriu testar seleção russa da Copa de 2018 antes do evento. Mau desempenho da equipe na Copa do Brasil preocupa autoridades russas sobre possível fracasso no Mundial que será sediado em casa.

A ideia de formar um modelo de seleção russa que se apresentaria no campeonato nacional antes da Copa do Mundo de 2018 é uma “ideia bonita, mas utópica”, declarou Fabio Capello, técnico oficial da seleção, nesta terça-feira (16).

Mais cedo, Anatóli Vorobiov, secretário-geral da Federação Russa de Futebol (FRF), havia dito que, para mostrar bons resultados na Copa do Mundo de 2018, o país deveria “formar uma equipe central, que iria competir com os clubes de futebol russos no campeonato nacional”.  Segundo ele, a equipe “Rússia-2018” seria comandada pelo próprio treinador Capello.

A seleção nacional experimentou uma série de contratempos ao longo da última década, e não conseguiu se classificar para a Copa do Mundo de 2006, na Alemanha, nem para o Mundial de 2010, na África do Sul.

As coisas mudaram, no entanto, quando o técnico italiano Fabio Capello assumiu a equipe e garantiu uma vaga para a seleção nacional na Copa do Mundo de 2014, no Brasil.

Mesmo assim, a equipe não conseguiu ultrapassar a primeira fase do Mundial, colocando o treinador no centro de críticas e levantando sérias preocupações no país sobre o desempenho da equipe na Copa do Mundo de 2018, que acontecerá na Rússia.

O país ganhou o direito de sediar o evento esportivo há três anos, após uma disputa acirrada contra a proposta conjunta de Inglaterra, Portugal Espanha, a candidatura também conjunta em nome da Bélgica e da Holanda.

 

Publicado originalmente pela agência Itar-Tass

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.