Gigantes na terra do exagero

Russos, assim como japoneses, ficarão concentrados em Itu, no interior de São Paulo. Cidade é conhecida por objetos em tamanho avantajado  Foto: RFX/Fotodom

Russos, assim como japoneses, ficarão concentrados em Itu, no interior de São Paulo. Cidade é conhecida por objetos em tamanho avantajado Foto: RFX/Fotodom

Com cerca de 160 mil habitantes, cidade no interior de São Paulo teve que correr para preparar recepção de jogadores.

De acordo com informe da União de Futebol da Rússia, os jogadores do país embarcam no dia 8 de junho para o Brasil, a apenas quatro dias do início do torneio. Eles ficarão hospedados em Itu, cidade a 100 km de São Paulo escolhida também pela seleção japonesa.

Os jogadores irão se hospedar no Hotel San Raphael Country, um dos mais caros da cidade. O estabelecimento fica longe do centro, e é isolado por cercas e altos arbustos. A entrada é restrita. 

“Estamos acostumados a receber artistas, músicos, personalidades e pessoas do meio esportivo”, afirma o coordenador geral do hotel, Everton Baptista. “Todos os quartos foram reservados.” Segundo ele, o local já está pronto para a chegada dos jogadores: além de reformar quartos, restaurantes e salas de convenções, eles negociam com operadoras de TV a cabo para exibir canais russos. “Conversamos com um professor de russo e damos aulas de reforço em inglês”, conta.

Os representantes de outros hotéis em Itu notam um crescimento significativo na procura de quartos para a Copa. Segundo Deborah Gandini, do “Gandini Hotel”, o estabelecimento já está com 85% da ocupação. “Dos 96 alojamentos do nosso hotel, restam poucos e não para todo o período”, diz a coordenadora de vendas do Hotel Itu Plaza, Luciane Francischinelli. 

Segundo ela, o estabelecimento vai hospedar alguns russos, entre eles jornalistas. “Fizemos até alguns ajustes para sua chegada. Incluímos no cardápio do café de manhã, por exemplo, pratos de que os russos gostam, como o ‘oladi’, uma espécie de panqueca.”

Já o Estádio Novelli Júnior, onde os russos irão treinar, demorou a ficar pronto. Até o final de maio, só um dos dois gramados planejados para receber os jogadores tinha sido finalizado.

No início do ano chegou-se a especular que os jogadores comandados pelo técnico Fabio Capello trocariam Itu por Florianópolis. Em fevereiro,o técnico italiano da seleção russa confirmou ter recebido propostas para deixar o centro de treinamento ituano e partir para o sul do país. “Em nenhum momento isso seria possível. A Rússia já havia acertado na época junto à Fifa sua permanência em Itu durante o período da Copa”, afirma o secretário municipal de Esportes, Antônio Carlos Bertagnolli.

O secretário nega que haja qualquer atraso nas obras. Segundo ele, a construção da infraestrutura requerida está dentro do cronograma. “A construção do campo de treinamento anexo ao Estádio Novelli Júnior foi concluída e entregue no final de março. A obra de construção do centro de fisioterapia está em fase de finalização e será entregue em maio”. 

Segundo Bertagnolli, a verba para as obras (R$ 2,5 milhões) é proveniente do governo federal. Toda a estrutura construída no estádio será utilizada após a Copa pelo time local Ituano Futebol Clube.

O Ituano, que normalmente usa o Estádio Novelli Júnior e recentemente triunfou no Campeonato Paulista de Futebol, irá ceder seu espaço para os russos durante todo o período do torneio. Seu assessor de imprensa, Acaz Fellegger, disse à Gazeta Russa que durante a Copa o time treinará em outro campo, na saída da cidade. 

Recepção pronta

Os moradores e visitantes de Itu expressam opiniões variadas sobre a preparação da cidade para receber os russos. 

“Infelizmente, Itu não está bem preparada para a chegada de tanta gente”, afirma a comerciante Kátia Sueko Vema. “Conheço bem as cidades vizinhas – Indaiatuba, Sorocaba, Piracicaba. Seus hotéis não são bem adaptados para receber estrangeiros, não terão um bom atendimento para eles. O tempo também está se esgotando, e o estádio onde os russos irão treinar não está pronto.”

Já o vigia Dautely Barnabe, que mora na cidade há mais de 30 anos, acredita que a cidade está pronta para os russos. “O evento será bom para Itu, porque muita gente vai ter que aprender a falar inglês, e algumas pessoas, também russo”, diz.

Em uma coisa os ituanos concordam: a chegada dos russos influenciará no turismo de maneira positiva. Os vendedores na feira de artesanato da Praça do Carmo, no centro da cidade, esperam um aumento nas vendas durante a Copa. 

O artesão Fernando de Melo Lopes criou até um design especial para chinelos com as bandeiras russa e brasileira. “Logo que fiquei sabendo que os russos escolheram nossa cidade para treinar, decidi fazer algo dedicado ao evento”, conta.

Tereza Lima, proprietária do “Antiquário da Esquina”, na praça Padre Anchieta, resolveu enfeitar a entrada do local com as bandeiras da Rússia e Japão para atrair os clientes estrangeiros. “Acho tão legal chegar num país estrangeiro e encontrar a própria bandeira”, diz.

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.