“Estabilidade política faz da Rússia melhor anfitriã da Copa do que o Brasil”

Mutko reconheceu que problemas podem ocorrer em qualquer campeonato de grande porte Foto: ITAR-TASS

Mutko reconheceu que problemas podem ocorrer em qualquer campeonato de grande porte Foto: ITAR-TASS

O ministro dos Esportes russo, Vitáli Mutko, citou a “estabilidade política da Rússia” como um fator-chave para evitar os problemas enfrentados pelo Brasil como sede da Copa do Mundo deste ano, incluindo protestos em grande escala e estádios inacabados.

“O país que hospeda um torneio dessa magnitude deve ser politicamente estável”, disse Mutko, em coletiva de imprensa nesta terça-feira (27). “Isso é o que temos, portanto, não devemos ter nenhum problema [para sediar a Copa do Mundo de 2018].”

Segundo ele, como o Brasil é constituído por unidades federativas, os governadores locais recebem amplos direitos. “Depois das eleições passadas, nem todos os novos líderes assumiram as obrigações para com a Fifa”, justificou o ministro.

Mutko acrescentou que todas as regiões russas envolvidas na Copa de 2018 adotaram um programa de desenvolvimento, que será realizado independentemente de mudanças na liderança regional.

Apesar de sua análise da situação política do Brasil, Mutko reconheceu que os problemas podem ocorrer em qualquer campeonato de grande porte e que o país lati-americano certamente apresentará um evento de alto nível. O ministro ressaltou ainda que não há reclamações sobre os preparativos da Rússia para a Copa do Mundo.

A Rússia se comprometeu a construir 12 novos estádios para o torneio de 2018. Atualmente, o país não tem um estádio sequer que preencha os requisitos da Fifa.

 

Publicado originalmente pelo The Moscow Times

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.