Liga russa de futebol poderá ter teto salarial

Jogadores do Zenit Hulk (esq.) e Axel Witsel Foto: ITAR-TASS

Jogadores do Zenit Hulk (esq.) e Axel Witsel Foto: ITAR-TASS

Especialistas veem essa inovação como um desenvolvimento do conceito de “fair play” financeiro que está sendo promovido ativamente pela UEFA (União das Federações Europeias de Futebol), liderada por Michel Platini.

A primeira divisão de futebol russa poderá ter definido um limite máximo de remuneração para os jogadores. A Duma do Estado planeja aprovar essa lei antes do final da sessão da primavera. Os deputados acreditam que a definição do teto salarial irá limitar os honorários dos atletas e treinadores não qualificados, em primeiro lugar dos estrangeiros.

De acordo com Dmítri Svischev, primeiro vice-presidente do Comitê da Duma do Estado para Cultura Física, Esporte e Juventude, a questão da introdução do teto salarial é extremamente complicada.

"Mas eu acho que na sessão deste ano vamos concluir esse projeto de lei”, disse Svischev ao canal de televisão “Mir 24”. Além disso, Svischev acredita que o valor total dos honorários, incluindo bônus e prêmios, é que deve ser controlado e não o salário oficial, que os gestores dos clubes podem subestimar propositadamente.

Anteriormente, o vice-presidente do Dínamo de Moscou, Gennadi Soloviov, havia se manifestado a favor da introdução de um teto salarial.

"Nós somos da opinião de que é imprescindível a definição de um teto salarial nos clubes que integram a primeira divisão da Rússia e em outras ligas”, diz o site oficial do Dínamo, citando Soloviov. "Em relação às alegações de nossos oponentes de que surgirão esquemas ‘paralelos’, envelopes com pagamentos etc., pode-se declarar apenas uma coisa: quem fizer isso terá que responder perante a lei.”

No final de abril, o diretor geral do CSKA de Moscou, Roman Babaiev, falou sobre a limitação dos salários, mas apenas para os jogadores russos de futebol jovens.

"É imprescindível estabelecer um teto salarial para os jogadores russos de futebol jovens, com até 21 anos de idade. Também é necessário aumentar a compensação pela transição do jogador da escola para o clube, a fim de que as escolas fiquem mais motivadas e interessadas na formação de jovens jogadores", observou em uma entrevista coletiva. 

Uma ideia revolucionária  

O teto dos salários é um fenômeno incomum no mundo do futebol. Basicamente, ele é utilizado em outras modalidades esportivas, particularmente nas ligas americanas NFL, NBA e NHL.

No esporte russo, foram os gestores da Liga Continental de Hóquei que testaram a limitação dos salários pela primeira vez, mas acabaram não conseguindo impor um teto rígido. Em diferentes momentos, o limite podia ser ultrapassado graças ao assim chamado "imposto sobre luxo" (pagamento adicional para o orçamento da liga) ou por conta dos "hoqueistas excluídos", ou seja, estrelas como Aleksandr Radulov e Ilia Kovaltchuk, cujos salários não eram considerados na lista geral.

Na segunda liga de futebol da Rússia, a Liga Nacional de Futebol (FNL, na sigla em russo) será estabelecido em breve um valor máximo que um jogador ou um treinador poderá receber individualmente (300 mil rublos, cerca de US$ 8.500), entretanto, não haverá um teto salarial global para a equipe.

 Fair play financeiro

Quanto aos torneios europeus de futebol, nacionais e internacionais, não foram impostas restrições rigorosas, mas em 2009, a UEFA aprovou o conceito de "fair play financeiro", que deve ajudar a reduzir os custos dos clubes com salários. 

Viatcheslav Koloskov, presidente honorário da União Russa de Futebol (RFC, na sigla em russo) contou à “Gazeta.ru” que concorda com a iniciativa dos deputados, mas sugeriu resolver essa questão através das federações esportivas e abordar não apenas o futebol.

"É evidente que essa é uma questão pungente”, enfatizou Koloskov. “Mas não está claro por que isso se aplica somente ao futebol. Afinal, nós temos salários muito mais elevados no hóquei e no basquete, pelo menos no que diz respeito aos salários comparáveis e até mesmo dos grandes salários. Se for para aprovar a resolução legalmente, então é necessário fazer isso em relação a todas as modalidades de esporte. Eu também incluiria nesse projeto de lei a questão da remuneração dos agentes porque muito dinheiro sai do futebol para pagar os seus serviços.”

De acordo com o ex-presidente da RFC, a introdução de um teto salarial dará continuidade, de forma lógica, à ação da UEFA no âmbito do “fair play” financeiro.

"É claro que até agora isso não tinha acontecido nas ligas de futebol, mas afinal, em essência, o ‘fair play’ financeiro é a mesma coisa”, disse Koloskov. “Talvez não tão específico, mas na verdade é um pré-requisito para o teto salarial. Não foi por acaso que Platini e seus correligionários desenvolveram este tema.”

 

Publicado originalmente pela Gazeta.ru

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.