“Temos uma equipe boa e podemos surpreender”, diz técnico da seleção

"Na verdade, estamos nos preparando para este torneio desde janeiro" Foto: AP

"Na verdade, estamos nos preparando para este torneio desde janeiro" Foto: AP

Fabio Capello fala sobre os desafios para a Copa do Mundo no Brasil e eficiência nas Olimpíadas de Sôtchi.

Rossiyskaya Gazeta: Em breve, o time russo iniciará a preparação para a Copa do Mundo. Você está se sentindo tenso ou cheio de adrenalina?

Fabio Capello: Nesse momento estamos totalmente focados na preparação. Eu sempre reviso os meus jogadores, e isso no momento é o mais importante. Quanto as questões organizacionais, base de treinamento e assim por diante, não há nenhum problema. A adrenalina virá com tudo na chegada ao Brasil, quando  começarmos a trabalhar lá e virmos a primeira partida do torneio. Só então que se pode realmente sentir o campeonato mundial.

RG: Você tem quase um mês para se preparar para a Copa do Mundo. Esse tempo é suficiente?

Durante a Copa do Mundo, a seleção russa ficará hospedada no hotel San Rafael Country, próximo à cidade de Itu, no interior de São Paulo. A equipe será transportada de avião para os jogos. Na fase de grupos, os russos jogarão contra a Coreia do Sul (em Cuiabá), Bélgica (no Rio de Janeiro) e Argélia (em Curitiba).

FC: Na verdade, estamos nos preparando para este torneio desde janeiro. Fomos duas vezes para o Brasil, procuramos um centro de treinamento e buscamos hotéis. 

RG: O que aconteceu com o centro? Havia informações de que ele ainda não estava pronto...

FC: Recebemos constantemente informações e fotografias. O campo e o hotel estão prontos, há também um centro para imprensa muito bom. Nesse aspecto,  não há absolutamente nenhum problema.

RG: O que mais marcou em suas viagens ao Brasil?

FC: Para ser sincero, eu estava focado na nossa base de treinamento e em questões organizacionais. Durante a primeira visita, fomos a seis campos de treinamento em uma semana, e acabamos escolhemos o atual. Tenho certeza de que é a melhor escolha. Nós não queríamos ficar no Rio de Janeiro, e desde o começo tínhamos planejado nos instalar no estado de São Paulo. A Fifa, junto com a Polícia Federal do Brasil, organizarão a segurança. Além disso, temos também o nosso próprio serviço de segurança.

RG: Qual seria um bom resultado para a seleção russa nesta Copa do Mundo?

FC: Vamos passo a passo. Em primeiro lugar, teremos a fase de grupos. Se pudermos passar adiante, o encontro com a Alemanha ou Portugal será bastante provável nas oitavas de final. Mas vamos pensar nisso depois. Acho que temos uma equipe muito boa e podemos surpreender. Devemos entender a responsabilidade que enfrentaremos nesse torneio, do qual participaremos depois de uma longa pausa. A Copa do Mundo é um evento totalmente diferente de qualquer outro torneio e tem um nível mais alto.

RG: Além da Copa do Mundo no Brasil, este ano também teve os Jogos Olímpicos de Inverno em Sôtchi. Quais foram as suas impressões das Olimpíadas na Rússia?

FC: Foi tudo fantástico. Passei dois dias lá, vi a maravilhosa cerimônia de abertura e as primeiras competições de patinação de velocidade e patinação artística. A organização era de alto nível, o sistema de segurança funcionava bem. Era possível mover-se livremente, e a equipe de segurança era respeitosa tanto em relação aos torcedores quanto aos convidados. Para mim isso é muito importante.

 

Publicado originalmente pela Rossiyskaya Gazeta   

 


Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.