Sôtchi se prepara para receber atletas paraolímpicos

Cerca de 70 atletas representarão a Rússia em todos os esportes Foto: RIA Nóvosti

Cerca de 70 atletas representarão a Rússia em todos os esportes Foto: RIA Nóvosti

Cerca de 70 atletas representarão a Rússia em todos os esportes: esqui de fundo (cross-country) e biatlo, esqui de montanha (inclusive "parasnowboard"), hóquei de trenó no gelo ("sledge-hockey") e curling de cadeira de rodas.

Atletas com deficiência física continuam a se preparar para o início dos  Jogos Paraolímpicos de Inverno de Sôtchi. Nos próximos dias, atletas de todo o mundo começarão a chegar à cidade. As Vílas Paraolímpicas, situadas na costa e em montanhas, já abriram suas portas para os hóspedes.

As competições acontecerão de 7 a 16 de março. Cerca de 70 atletas representarão a Rússia em todos os esportes: esqui de fundo (cross-country) e biatlo, esqui de montanha (inclusive "parasnowboard"), hóquei de trenó no gelo  ("sledge-hockey")  e curling de cadeira de rodas.

Uma das preocupações dos representantes da comissão organizadora até o último momento é um possível boicote aos Jogos devido à situação na Ucrânia, o que não se concretizou até o momento. No último domingo, o primeiro-ministro da Polônia,  Donald Tusk, pediu aos atletas do país para não deixarem de participar dos Jogos. Segundo ele, “o boicote da competição não resolverá o problema na Ucrânia”.

“Digo abertamente: eu não acho que a não participação de nossos atletas  influenciará de alguma maneira a acontecimentos na Crimeia e na Ucrânia", disse Tusk, citado pela agência RIA Nóvosti.

Vilas Paraolímpicas prontas  

As Vilas Paraolímpicas já estão prontas para receber tanto os atletas quanto os delegados dos países participantes.

Duas vilas, perto da costa e na montanhas, estarão abertas. Representantes de 45 países –cerca de 1.600 atletas e membros de delegações– estarão hospedados lá durante os jogos. Cerca de 2.000 funcionários e voluntários contribuirão na criação das condições apropriadas para os hóspedes internacionais. As vilas  estão equipadas com todo o necessário para o bom alojamento de atletas com deficiência: rampas nas entradas, chuveiros, lavatórios  e interruptores situados em nível apropriado para os deficientes, portas automáticas nos corredores, bem como elevadores com botões especiais e alerta sonoro.

A Vila Paraolímpica costeira Mansão, cuja prefeita é a bicampeã dos Jogos Paraolímpicos e recordista mundial de natação Olesia Vladikina, foi projetada para 350 atletas e delegados dos países participantes. Ela está situada perto  das instalações do núcleo costeiro, portanto o caminho até os lugares de treinamento é de apenas cerca de dez minutos. Na Mansão residirão atletas, participantes das competições de hóquei de trenó no gelo e curling de cadeira de rodas.

Serguêi Shilov, hexacampeão paraolímpico, heptacampeão mundial e tetracampeão europeu de esqui de fundo, tornou-se o prefeito de vila no núcleo nas montanhas. Aqui vão se instalar os atletas que participarão das competições de esqui de fundo, biatlo e esqui de montanha. A vila nas montanhas está localizada perto do centro de esqui de montanha e do parque de snowboard, a uma altitude de 1.100 m. A distância até as pistas de competição é de apenas 10 km. O transporte ao redor da vila e da vila até os locais de competição estará disponível 24 horas. Além disso, os atletas e membros da delegação terão acesso às duas estações de teleférico situadas bem perto da vila.

Ao som de José Carreras  

Um programa cultural, elaborado pelos representantes do comitê organizador dos Jogos, contará com  apresentações de teatro e performances de artistas russos e internacionais. Quem acompanhar as competições também terá a oportunidade de assistir ao legendário tenor espanhol José Carreras.

Fogo dos Jogos  

A partir de março de 2014, por decisão do Comitê Paraolímpico Internacional, o condado britânico de Buckinghamshire tornou-se um dos locais que todas as próximas tochas terão que visitar no seu caminho. Isso se deve ao fato de Stoke Mandeville, no condado britânico, ser considerada o berço do movimento paraolímpico. Ao acender a tocha, tocou-se o hino e depois uma faísca foi transferida virtualmente do Reino Unido para a Rússia: a chama acesa no Reino Unido se dirigiu para Sôtchi para juntar-se com outras tochas nas cidades russas.

 

Publicado originalmente pela Gazeta.ru

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.