Chama paralímpica passará por 45 cidades russas

Chama paralímpica será transportada por 1,5 mil pessoas Foto: RIA Nóvosti / Vitáli Ankov

Chama paralímpica será transportada por 1,5 mil pessoas Foto: RIA Nóvosti / Vitáli Ankov

Trajeto que começou no cabo Dejnev, ponto mais oriental do país, incluirá também a cidade britânica de Stoke Mandeville, onde surgiram as competições paralímpicas.

As apresentações vitoriosas dos russos nas Olimpíadas de Sôtchi serão perpetuadas pelos atletas paralímpicos, que começarão a se apresentar nos Jogos Paralímpicos a partir de 7 de março. 

De acordo Mikhail Terentiev, secretário-geral do Comitê Paralímpico da Rússia, a chama paralímpica será transportada por 1,5 mil pessoas e passará por 45 localidades russas. O revezamento, que começou nesta quarta-feira no cabo Dejnev, terminará no dia da abertura oficial das Paralimpíadas.

Os organizadores do revezamento prometem apresentações únicas em todas as cidades incluídas no programa. Entre elas, a tocha será acendida pela chama do forno utilizado na cozedura dos famosos brinquedos de argila de Romanov, em Lipetsk, e pelas faíscas geradas dos melhores ferreiros locais em Pskov.

Raio-X da Tocha

A chama paralímpica possui o mesmo formato da tocha olímpica. Porém, os elementos do punho são de cor azul para simbolizar a pureza de pensamentos e força de vontade dos atletas participantes. A tocha pesa cerca de 1,8 kg e tem quase 1 metro de altura. 

Já na cidade de Murmansk, localizada além do círculo polar, a tocha será acesa em meio à aurora polar. Mas a maior apresentação acontecerá na unidade federativa de Moscou, onde o grupo de aviadores “Cavaleiros Russos” fará um espetáculo aéreo, desenhando o símbolo dos Jogos Paralímpicos no ar. 

Além das cidades russas, o trajeto percorrido pela chama paralímpica inclui a cidade de Stoke Mandeville, localizada no Reino Unido. As competições realizadas na cidade em 1948 serviram como protótipos para as Paralimpíadas modernas.

Mikhail Terentiev, campeão paralímpico e atual secretário-geral do Comitê Paralímpico da Rússia, será um dos portadores da tocha. “O revezamento é um evento importante que permite manter o interesse do público nessas competições. O esporte é uma ferramenta de reintegração dos deficientes físicos à nossa sociedade”, diz.

“Nos jogos em Vancouver, ganhamos 38 medalhas, das quais 12 foram de ouro, 16 de prata e 10 de bronze”, acrescenta. “Desta vez, faremos o possível para repetir o resultado anterior ou superá-lo.”

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.