Quem levará a bandeira da Rússia na abertura dos Jogos de Sochi?

Foto: RIA Nóvosti

Foto: RIA Nóvosti

Para alguns atletas, carregar a bandeira nacional é sinônimo de má sorte durante as competições.

Daqui a um dia acontecerá a abertura dos Jogos Olímpicos de Sochi, mas o nome da pessoa que deverá carregar a bandeira da Rússia ainda não foi revelado. O mistério não se deve apenas por causa da atmosfera de sigilo, mas porque carregar a bandeira tornou-se mau presságio.

A bandeira da Rússia sempre foi carregada apenas por campeões olímpicos. No entanto, desde o final dos anos 80, os atletas que tiveram a honra de levar a bandeira deixaram de apresentar bons resultados nas competições, e a homenagem começou a ser vista como um mau presságio. Carregar a bandeira russa durante a inauguração dos Jogos em Sochi já foi rejeitado pelo campeão mundial da patinação artística, Evgeni Plushenko, e pelo patinador de velocidade Ivan Skobrev. Seus treinadores justificaram a recusa alegando treinamentos físicos intensos e estresse emocional às vésperas da competição. 

Biatlo

A treinadora principal da equipe nacional de biatlo, Elena Vyalbe, proibiu sua equipe de descer das montanhas para a abertura dos Jogos Olímpicos em Sochi. Segundo ela, o problema não é apenas a pressão e a temperatura diferentes, às quais é difícil se adaptar, mas também o azar. "Sou muita supersticiosa e sei que aquele que carrega a bandeira na abertura dos Jogos Olímpicos nunca ganha o ouro”, disse.

O bicampeão olímpico de biatlo, Sergey Chepikov, não compartilha os temores da equipe nacional. Ele carregou a bandeira da equipe russa nos Jogos de Inverno em Lillehammer em 1994. Em entrevista ao jornal “Sport-Express”, ele disse que sofreu um forte estresse não por conta do treinamento físico intenso mas pelas autoridades esportivas. "Eles ficaram em cima de mim, repetindo que queriam a minha vitória. Na véspera da competição isso cria tensão", disse ele. Durante a primeira competição nos Jogos Olímpicos de 1994 ele perdeu, mas em seguida ganhou sua primeira medalha de ouro olímpica em sprint. 

Patinação artística

Os atletas da patinação artística não gostam de falar sobre as superstições, mas os fãs de Yevgeny Plushenko, campeão olímpico em Turim em 2006, já notaram que o atleta se benze três vezes no gelo antes e depois de sua apresentação.

As mulheres da patinação artística preferem não tirar os patins depois do treinamento anterior à apresentação, para não perder a concentração. Muitas atletas colocam a capa dos patins em posição paralela no vestiário, pois dizem que assim a apresentação será correta.

O campeão mundial de patinação artística em duplas, Maxim Trankov, nunca leva seu celular para a competição e tem medo de que sua mãe possa aparecer para torcer por ele durante a competição (o pai de Trankov morreu no ano passado) . “Desde a infância eu tenho isso: em qualquer lugar que fosse a apresentação, na presença dos pais, sempre achei que perderia”, disse ele ao portal Tribunasports.ru. “Se a minha namorada vier, não acontecerá nada grave. Na sua presença eu me sinto bem.”

Hóquei

Quando viajam para competir, os jogadores de hóquei russo tentam não levar as mulheres, pois acredita-se que isso quebraria o espírito de competição. A superstição mais famosa entre os jogadores é não se barbear durante os playoffs. Assim, os jogos finais de competições como a Copa de Stanley ou os Jogos Olímpicos se transformam em uma batalha de barbudos.

Outra superstição surgiu para a equipe de hóquei russo durante os últimos Jogos Olímpicos de Vancouver. Naquela época os jogadores russos se depararam com seu principal inimigo, a equipe do Canadá. Apesar de serem apenas as quartas-de-final, todas as forças foram aplicadas para vencer o rival. Mesmo ganhando o jogo com um resultado de 3 a 0, a equipe russa foi derrotada em todos os outros jogos. A agência russa de notícias BaltInfo criou então um novo presságio:  ganhar contra o Canadá  significa perder as Olimpíadas.

Mesmo supersticiosos, os jogadores de hóquei estão dispostos a ajudar a equipe russa a carregar a bandeira durante a inauguração dos Jogos Olímpicos em Sochi. Ilya Kovalchuk, atacante da equipe nacional de hóquei, é um dos principais candidatos ao título de portador da bandeira. Ele apoiou essa iniciativa e disse aos colegas: "Quem acredita em presságios, é melhor não praticar esportes".

 

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.