Acidentes excluem pilotos da Kamaz da liderança no rali Dakar 2014

A maior parte do Dakar ainda está à frente Foto: AP

A maior parte do Dakar ainda está à frente Foto: AP

Quatro equipes a bordo dos caminhões russos permanecem na cola do piloto holandês Gerard de Rooy, da Iveco, que mantém a liderança em terras argentinas.

Embora a Kamaz contasse com a participação de cinco equipes russas no rali Dakar 2014, na Argentina, um acidente na segunda fase da corrida obrigou o quarteto de Ayrat Mardeev a abandonar a disputa. O caminhão que se deslocava ao longo do leito seco de um rio caiu por causa do desnível no terreno.

O veículo foi concertado às pressas, mas os organizadores decidiram excluir o medalhista de prata do Dakar 2013 da competição deste ano. Isso porque o GPS do veículo foi desconectado durante a queda do veículo, o que é estritamente proibido pelas regras.

O holandês De Rooy, que seguia atrás de Mardeev, parou junto para ajudar os seus rivais que haviam sofrido o acidente. No entanto, para fazer a parada de emergência, a equipe levou cerca de 20 minutos, que foram incluídos na revisão dos resultados da segunda etapa e proporcionaram a De Rooy a liderança na classificação geral.

Apos a exclusão de Mardeev, a bandeira russa foi recuperada pelo  medalhista de bronze do Dakar no ano passado, Andrêi Karguinov, que venceu a terceira etapa. O piloto poderia também ter conquistado a vitória no quarto trecho do rali, se não fosse por um pneu furado. Karguinov terminou a quarta etapa com atraso de um minuto e trinta segundos em relação a De Rooy.

“De manhã começamos a etapa totalmente preparados, mas havia um trecho muito pesado”, comentou Karguinov sobre o resultado de corrida. “Havia muita poeira e pedras que deixaram a pista bem difícil. A maior parte do dia passamos na liderança, mas na segunda parte, um pneu furou. De Rooy nos ultrapassou, e não tivemos tempo para alcançá-lo.”

Mesmo assim, os pilotos russos foram bem-sucedidos na quinta etapa do Dakar 2013.  Dmítri Sotnikov venceu a competição no trecho de 912 km entre as cidades argentinas de Chilesito e San Miguel de Tucumán, com o tempo de 6h57m46s.

Na classificação geral, a diferença entre o piloto holandês De Rooy e o melhor dos russos, Andrêi Karguinov, diminuiu até 32 minutos. A maior parte do Dakar ainda está à frente e, como mostra a experiência dos anos anteriores, tudo pode mudar a qualquer momento da corrida.

 

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.