Krasnoiarsk receberá a Universíada de Inverno 2019

A cidade siberiana de Krasnoiarsk sediará dos jogos internacionais universitários de 2019, conforme decisão unânime do comitê executivo da Federação Internacional do Esporte Universitário Foto: Reuters

A cidade siberiana de Krasnoiarsk sediará dos jogos internacionais universitários de 2019, conforme decisão unânime do comitê executivo da Federação Internacional do Esporte Universitário Foto: Reuters

Cidade siberiana conquistou direito de sediar jogos internacionais universitários em votação sem concorrentes. Presidente do órgão responsável pela decisão garante que vitória não era automática e se deve ao investimento proposto pelos governantes locais.

 Comissão da Federação Internacional do Esporte Universitário escolheu Krasnoyarsk como a 29ª capital da Universíade Internacional de Inverno. A apresentação final do único candidato foi levada a cabo pela delegação russa, liderada pelo ministro do Esporte, Vitáli Mutko.

A votação dos membros da comissão da FISU foi unânime e a candidatura da cidade de Krasnoiarsk foi a vencedora. Para vencer bastaria ter 50% dos votos mais um, uma vez que a cidade siberiana foi a única candidata a se apresentar disposta a sediar a Universíade de Inverno em 2019.

Inicialmente, Krasnoiarsk tinha dois adversários, mas depois que Pyeongchang foi escolhida para recebeu os Jogos Olímpicos de 2018, os sul-coreanos retiraram a candidatura para a organização dos jogos universitários e, posteriormente, acabou também desistindo voluntariamente a suíça St. Gallen. Em vez do dossiê de requerimento, o lado suíço enviou uma carta oficial à FISU, na qual informava que, após cuidadoso estudo e análise da campanha de Krasnoyarsk, ela entendera que as chances da candidata russa eram muito maiores.

A cidade siberiana de Krasnoiarsk sediará dos jogos internacionais universitários de 2019, conforme decisão unânime do comitê executivo da Federação Internacional do Esporte Universitário (FISU) no sábado passado (10). A candidatura não tinha outro concorrente desde que o contão suíço de Valais retirou sua proposta em setembro.

O presidente da federação, Claude-Louis Gallien, garante que a ausência de concorrentes não significou vitória automática de Krasnoiarsk. “Se nós vemos que o candidato não tem tempo para garantir a realização adequada dos Jogos, temos o direito de iniciar nova campanha de licitação com outros países candidatos”, declarou Gallien.

Em vez do dossiê de requerimento, o lado suíço enviou uma carta oficial à FISU em setembro, informando que, após cuidadoso estudo e análise da campanha de Krasnoiarsk, estava claro que as chances da candidata russa eram muito maiores.

Até 2019, a cidade siberiana deve construir ou reformar cinco instalações esportivas. O governador de Krasnoiarsk, Lev Kuznetsov, acredita que os US$ 1,2 bilhões de investimento no projeto ajudarão a cidade a se livrar da imagem de “que ainda tem ursos andando pelas ruas”.

A Rússia conquistou pela primeira vez o direito de sediar a Universíada de Inverno, embora já tenha recebido duas vezes os jogos internacionais universitários de verão: Moscou (1973) e Kazan (2013).

 

Publicado originalmente pelo Gazeta.ru

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.