Os preparativos para a Copa do Mundo de 2018

Faltando pouco mais de cinco anos até o inicio da Copa do Mundo de 2018, a Rússia ainda não tem estádios de futebol de qualidade Foto: Mikhail Mordassov

Faltando pouco mais de cinco anos até o inicio da Copa do Mundo de 2018, a Rússia ainda não tem estádios de futebol de qualidade Foto: Mikhail Mordassov

Capital russa amarga a impossibilidade de usar seus dois únicos estádios para campeonatos devido a chuvas e obras de novos campos previstos estão atrasadas.

No último domingo (6), aconteceu o clássico CSKA de Moscou x Dínamo levou ao estádio apenas seis mil espectadores. A baixa frequência do público surpreendeu, já que geralmente pelo menos 30 mil lotam as arquibancadas para esse tipo de partida.

A demanda tão reduzida pela partida, que resultou em 2x0 para Dínamo, não foi determinada pelo fraco desempenho do CSKA.

A questão é que o clássico, que tradicionalmente acontece na capital, teve que ser realizado no campo de reserva do estádio Lokomotiv, com um gramado artificial da pior qualidade.

"O volume das chuvas foi o maior dos últimos 80 anos. Não podemos discutir com a natureza, mas estamos fazendo todo o possível para que os nossos times possam jogar em estádios decentes", explica o vice-presidente da Primeira Liga de Futebol da Rússia, Serguêi Tcheban.

"Não podemos esquecer que a Copa do Mundo será realizada no verão, quando o clima russo é muito mais estável. Tenho certeza que iremos realizar uma Copa do mais alto nível, como fizeram nossos colegas ucranianos no último Campeonato Europeu.”

Uma capital, dois estádios

A enorme cidade de Moscou tem apenas dois estádios para realizar campeonatos.

Assim, o time Spartak, de Moscou, teve que ser enviado às pressas para Iekaterimburgo, na Rússia central, pelos dirigentes da Primeira Liga, já que não havia um campo para jogar com o Terek, da Tchetchênia, no sul da Rússia.

Apesar de Moscou ficar a mais de 1.700 km de Iekaterimburgo, foi lá que a equipe de Moscou realizou a partida que deveria ter sido em casa.

Mas o time moscovita não deixou seus torcedores na mão (ou tentou): disponibilizou ônibus gratuitos até os Montes Urais, onde jogou, a todos os torcedores do time que haviam adquirido ingressos para a temporada.

A viagem de três dias pode, porém, não ter agradado nem o fã mais fervoroso do Spartak.

Já o CSKA Moscou está realizando os jogos da Liga dos Campeões da Uefa em outra cidade, São Petersburgo.

Chegar até lá é muito mais fácil, mas, em compensação, o estádio é usado também por um de seus principais adversários, o Zenit.

Na Rússia, a Uefa teve a bondade de permitir que as partidas no estádio Petróvski fossem realizadas em dias ininterruptos.

O Zenit jogou em uma terça-feira e na quarta-feira seguinte, o bom gramado do estádio Petróvski foi deixado em um estado deplorável pelos jogadores do CSKA e do time tcheco Vitoria.

O Dínamo de Moscou está cumprindo seu calendário de jogos no pior estádio do campeonato: o Rôdina comporta três mil pessoas e situa-se em Khímki, município que faz limite com a cidade de Moscou e onde jogam os times da Liga Amadora.

Enquanto isso, o Estádio Lujniki, que tem sido a tábua de salvação do país em circunstâncias semelhantes, está fechado para reforma.

"Durante os últimos 10 anos, a única coisa que aprenderam a fazer no futebol russo foi comprar jogadores", afirma Evguêni Lovtchev, considerado o melhor jogador da seleção soviética de 1972.

"A organização dos jogos, a construção de estádios e dos campos, o envolvimento do público, o progresso dos jogadores: nada disso é para nós. Durante o campeonato, o preço dos jogadores em campo simultaneamente provavelmente somava algumas dezenas de vezes o orçamento gasto na construção do campo de reserva do estádio Lokomotiv.”

Imagina na Copa

Faltando pouco mais de cinco anos até o inicio da Copa do Mundo de 2018, a Rússia ainda não tem estádios de futebol de qualidade.

O empreiteiro encarregado do novo estádio do Zenit pode ser alterado, mais uma vez. A construção do estádio VTB-Dínamo está novamente sendo adiada. A unidade federativa de Krasnodar, representada na Primeira Liga de Futebol da Federação Russa por dois clubes, permanece fora da licitação final.

No entanto, os manda-chuvas do futebol russo pedem que não se crie pânico em torno do problema.

Para o vice-presidente da Primeira Liga de Futebol da Rússia, Serguêi Tcheban, todos os estádios propostos para a Copa do Mundo serão entregues dentro do prazo previsto.

“O VTB Arena Park será entregue em outubro de 2017, o Zenit-Arena, em julho de 2016", disse, apesar dos atrasos visíveis.

"As obras estão prosseguindo em ritmo acelerado e várias cidades estarão prontas para o principal campeonato mundial já no ano que vem", promete. 

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.