Treinador aponta falhas táticas na derrota de Aleksandr Povétkin

O lutador russo Aleksandr Povétkin (dir.) conseguiu superar uma série de nocautes levados pelo ucraniano Vladímir Klitchkó e terminar a luta com dignidade Foto: ITAR-TASS

O lutador russo Aleksandr Povétkin (dir.) conseguiu superar uma série de nocautes levados pelo ucraniano Vladímir Klitchkó e terminar a luta com dignidade Foto: ITAR-TASS

No duelo contra o ucraniano Vladímir Klitchkó, travado no sábado passado (5), lutador russo não teria conseguido acompanhar os movimentos do adversário.

Os espectadores da luta considerada por muitos o principal acontecimento no mundo do boxe profissional deste ano e que, sem dúvida, virou o maior evento dessa modalidade esportiva na Rússia, ficaram decepcionados com a performance do último sábado.

O lutador russo Aleksandr Povétkin (dir.) conseguiu superar uma série de nocautes levados pelo ucraniano Vladímir Klitchkó e terminar a luta com dignidade, porém não, apresentou nenhuma dificuldade para o campeão mundial de peso-pesado.

Klitchkó, por sua vez, demonstrou mais uma vez as suas habilidades de luta e raciocínio, e defendeu os seus três títulos de campeão recebidos da Associação Mundial de Boxe (WBA), Federação Internacional de Boxe (IBF) e da Organização Mundial de Boxe (WBO).

“Nenhuma luta é igual a qualquer outra devido às diferenças técnicas, táticas e físicas dos participantes, assim como devido às suas experiências anteriores. Portanto, o duelo com Aleksandr foi diferente de outros dos quais eu já havia participado”, confessou Klitchkó durante a entrevista coletiva após o evento. “Estou acostumado às constantes críticas, mas não deixo de seguir o meu caminho. Hoje, eu defendi os meus títulos.”

Diversos especialistas tentaram explicar os motivos que levaram Klitchkó a não tirar o adversário da disputa, após uma série de nocautes no sétimo round. “Aleksandr não parou de ir para cima do Klitchko até o final do duelo”, ressaltou Aleksandr Zimin, treinador do Povétkin, em entrevista ao jornal russo “Izvéstia”. “Mas os seus ataques nem sempre tinham o efeito desejado, pois o adversário se movimentava bastante.”

O antigo campeão do mundo de peso-leve e amigo do Povetkin, Aleksandr Bakhtin, compartilha a opinião do treinador. “O principal objetivo do Aleksandr de conseguir lutar com Klitchko a curta distância não foi atingido devido aos puxões constantes de Vladímir”, explicou Bakhtin ao “Izvéstia”.

No entanto, o campeão ucraniano foi categórico ao negar todas as acusações. “O clinch é apenas uma das técnicas de boxe que usei para não permitir a domínio do Aleksandr durante a luta. Temos estaturas diferentes e usamos técnicas distintas. Da mesma forma que as táticas do Povétkin foram voltadas para me combater, tenho direito de usar as minhas próprias vantagens”, arrematou Klitchkó.

 

Com informações dos veículos Izvéstia e Gazeta.ru

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.