Moscou corre em câmera lenta

Parques de Moscou começaram a ganhar novas instalações para prática de esporte no início do século 21

Parques de Moscou começaram a ganhar novas instalações para prática de esporte no início do século 21

Mesmo a capital russa tendo um longo caminho a percorrer para melhorar as condições para os atletas, hábito de correr ganha novos adeptos graças às iniciativas da prefeitura e dos organizadores de corridas.

Neste verão, o calendário de corridas de Moscou esteve cheio de corridas quase todos os finais de semana. Os organizadores da Maratona de Moscou, por exemplo, patrocinaram uma série de corridas de 5 e 10 quilômetros, incluindo a Night Run no dia mais longo do ano e a Color Run em agosto passado. Porém, o mais importante evento de corrida da capital este ano foi a Maratona de Moscou, realizada neste domingo (15).

No decorrer dos últimos anos, o hábito de correr ganhou cada vez mais adeptos em Moscou, embora a cidade ainda tenha um longo caminho pela frente antes de se tornar confortável para os praticantes da modalidade.

“A popularidade da corrida está, sem dúvida, crescendo”, diz Ivan Vladimirov, um entusiasta do esporte há quase 40 anos. “Essa mudança de comportamento segue as tendências globais, mas também reflete a relativa estabilidade da nossa sociedade.”

Rodion, membro do clube de corrida Senej concorda com o companheiro de corrida. “Cada vez mais pessoas começam a correr”, diz ele, acrescentando que nas pistas é chamado apenas pelo seu apelido Los,  já que “sobrenomes não são para a vida de corrida, e correr ainda é um território de liberdade”.

Os primeiros clubes de corrida da capital russa, como Fakel, remontam à década de 1970. No entanto, havia pouca adesão, e as pessoas que corriam nas ruas ou parques de Moscou não pareciam combinar com a paisagem.

A queda do comunismo no início dos anos 1990 e o caos econômico que se seguiu não contribuíram para aumentar a popularidade da corrida. Mas, na década de 2000, à medida que os parques da cidade começaram a ganhar novas instalações e os jovens russos assumiram a ideia de viver um estilo de vida saudável, a situação começou a mudar.

“Em quase todos os bairros da cidade há uma grande quantidade de parques onde é possível correr”, diz Vladimirov. “E nos últimos anos, os parques vêm melhorando bastante.” 

Geração saúde

Atendendo ao aumento de interesse pela corrida, novos clubes começaram a aparecer por toda a cidade. Atualmente, há mais de uma dezena de clubes de corrida funcionando em Moscou. Mas muitas pessoas aparecem para as aulas de corrida a fim de obter conhecimento básico sobre técnicas, alongamentos e outros exercícios preparatórios e, em seguida, passam a correr por conta própria em vez de participar regularmente das atividades dos clubes.

De acordo com Aleksandra Boiarskaia, chefe do clube de corrida Nike Plus no parque Górki, um dos motivos para o aumento da popularidade da corrida foram as ideias sobre o esporte disseminadas nos Estados Unidos lá década de 1970 e que finalmente chegaram à Rússia, juntamente com outras noções sobre saúde.

“Para muitos, correr faz parte das atividades esportivas e de estilo de vida saudável, tais como yoga e bicicleta. Mas algumas pessoas apenas buscavam algo novo e gostaram o suficiente para continuar”, diz Boiarskaia.

A grande procura pelas sessões de treinamento no seu clube durante o verão passado, segundo Boiarskaia, confirmam a tendência, embora a maioria dos interessados continuem sendo jovens entre 17 e 27 anos. “Os expatriados também aparecem em peso”, acrescentou.

Outro fator que ajudou a aumentar o interesse pela corrida foram as atividades promovidas por grandes empresas, especialmente fabricantes de roupas e equipamentos esportivos que organizam corridas para expor a modalidade como um estilo de vida, em vez de apenas mais um esporte. A Nike, por exemplo, vem patrocinando uma série de corridas em Moscou desde 2011.

Pedras no caminho

Embora o número de corredores no parque Górki, em Moscou, ainda seja perceptivelmente menor do que, por exemplo, no Central Park, em Nova York, ou até mesmo no Ibirapuera, em São Paulo, é grande o bastante para se falar sobre uma nova tendência crescente.

No entanto, os corredores em Moscou ainda enfrentam muitos desafios. Embora o parque Górki seja quase tão confortável para os corredores quanto parques nas grandes cidades ocidentais, os outros parques da capital não parecem tão seguros nem convenientes. Moscou tem sérios problemas com vira-latas, além de iluminação insuficiente à noite e as pistas para corridas com péssima qualidade.

“Moscou não é muito adequada para os corredores”, diz Los. “Não há um culto de corrida. Nos parques, apesar das placas de proibidos cães, há mais cachorros do que pessoas. As autoridades não estão fazendo nada para melhorar a situação, e a Federação de Atletismo de Toda a Rússia se distanciou dessas questões.”

Boiarskaia concorda que a cidade não é conveniente para correr, “da mesma forma que não é conveniente para viver”. “Especialmente as mulheres não se sentem seguras para correr nos parques, enquanto as pessoas que correm nas ruas têm que enfrentar motoristas grosseiros e neve nas calçadas por boa parte do ano”, completa.

Por outro lado, contudo, o tamanho avantajado de Moscou cria uma vantagem extra para os corredores que preferem as ruas. “Alguns corredores reclamam que correr é chato. Mas, em Moscou, sempre se pode encontrar um caminho novo”, conclui Boiarskaia.

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.