Maratona de natação pelo Estreito de Bering parte da Rússia

Prova deste ano é dedicada ao 365º aniversário da descoberta do Estreito de Bering pelo explorador russo Semion Dejnev Foto: serviço de imprensa

Prova deste ano é dedicada ao 365º aniversário da descoberta do Estreito de Bering pelo explorador russo Semion Dejnev Foto: serviço de imprensa

Objetivo dos atletas é realizar percurso de 86 km entre EUA e Rússia em 40 horas.

Teve início neste terça-feira (6) no cabo Dejnev, na península de Tchúktchi, a Prova Internacional de Revezamento pelo do Estreito de Bering –neste ano, 65 atletas de 17 países pretendem realizar o percurso entre a Rússia e os EUA a nado.

Cada etapa tem duração de 20 minutos, e três pessoas nadam ao mesmo tempo a cada trecho. Em linha reta, o trajeto do cabo Dejnev até o cabo Príncipe de Gales, no Alasca, tem 86 km. Como os atletas são constantemente levados pela correnteza, os organizadores estimam que os nadadores terão que vencer uma distância de 120 km.

Os participantes pretendem fazer o percurso em 40 horas. A segurança da prova, que se realiza a uma temperatura de água entre 0oC e 1oC e com uma ondas com um metro de altura, é garantida pelo navio-hospital Irtich e pelo rebocador marítimo MB-16 da frota do Pacífico.

Na segunda-feira (5), na Vila Uelen, localizada no distrito autônomo de Tchukotka, os nadadores erigiram uma laje de granito em memória à primeira prova. Uma laje semelhante será erigida no cabo Príncipe de Gales.

A prova deste ano é dedicada ao 365º aniversário da descoberta do Estreito de Bering pelo explorador russo Semion Dejnev, ao centenário do departamento de Iakutsk da Sociedade Geográfica Russa e ao 70º aniversário da rota aérea Alasca-Sibéria, através da qual aviões de combate eram transferidos dos EUA para a URSS durante a Segunda Guerra Mundial.

 

Publicado originalmente pela ITAR-TASS 

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.