Depois das Olimpíadas de Londres, russos batem brasileiros na final da Liga Mundial de Vôlei

A seleção da Rússia não deu nenhuma chance aos brasileiros, que mantiveram a base de Londres Foto: AP

A seleção da Rússia não deu nenhuma chance aos brasileiros, que mantiveram a base de Londres Foto: AP

No jogo decisivo, disputado na cidade argentina de Mar del Plata, equipe russa derrotou com inesperada facilidade o seu principal adversário, a equipe brasileira.

Repetindo o resultado da final em 2011, os russos venceram os brasileiros na final da Liga Mundial e Vôlei, realizada em Mar del Plata, na Argentina, levando a sua terceira medalha de ouro da competição –a equipe russa também havia vencido em 2002. Atuais carrascos dos brasileiros, os russos venceram as últimas Olimpíadas em cima da seleção do técnico Bernardinho.

O time russo teve várias ausências de peso na Argentina. O novo treinador, Andrêi Voronkov, que substituiu Vladímir Alekno, teve à disposição somente quatro dos campeões de Londres: Dmítri Mussérski, Serguêi Gránkin, Nikolai Apálikov e Maksim Mikhailov, capitão da equipe olímpica, que acabara de se recuperar de uma lesão grave.

Na fase de grupos, os russos tiveram dois jogos dificílimos: bateram os brasileiros apenas no tie-break e perderam para os canadenses em cinco sets. Na semifinal,  contra os italianos, que tinham ficado à frente na fase de grupos, o time se mostrou mais forte, vencendo em quatro sets.

O jogo mais brilhante, no entanto, foi o da final. Após a partida, o treinador brasileiro confessou ter ficado chocado com os números da decisão.

A seleção da Rússia não deu nenhuma chance aos brasileiros, que mantiveram a base de Londres. O único set mais disputado foi o primeiro, em que os russos arrancaram uma vitória apertada por 25 a 23.

Nos doissets seguintes, a equipe russa não permitiu que os adversários fossem além dos 19 pontos. Nikolai Pavlov foi escolhido o melhor jogador do torneio, enquanto Dmítri Mussérski se consagrou como o melhor bloqueador.

 

Publicado originalmente pelo Kommersant

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.