“High diving” estreia no Mundial de Barcelona

Dupla Iliá Zakharov e Evguêni Kuznetsov também promete nos saltos ornamentais em Barcelona Foto: RIA Nóvosti

Dupla Iliá Zakharov e Evguêni Kuznetsov também promete nos saltos ornamentais em Barcelona Foto: RIA Nóvosti

Atleta russo é promessa de medalha em nova modalidade de saltos ornamentais com o dobro da altura das competições tradicionais.

Desde sexta-feira passada (19),mais de 2 mil atletas de 170 países estão reunidos Barcelona para participar do 15° Campeonato do Mundial de Esportes Aquáticos. O evento, que irá até 4 de agosto, conta com a participação de campeões mundiais e olímpicos, como o brasileiro Cielo Filho César, e o francês Florent Manaudou.

Desta vez, o norte-americano Michael Phelps, que já conquistou 26 títulos internacionais, ficará de fora do Mundial de Barcelona. O atleta pôs um ponto final à sua carreira esportiva logo após os Jogos Olímpicos de Londres, em 2012.

Vencedora de apenas oito medalhas na piscina olímpica de Londres e no Mundial de Xangai, a equipe russa sob a supervisão de Anatóli Juravliov não promete grandes surpresas.

A aposta dos russos está na dupla Iliá Zakharov e Evguêni Kuznetsov, que teve uma participação notável há dois anos no Mundial de Xangai. Além disso, nos Jogos Olímpicos de Londres, Zakharov foi o melhor no trampolim de três metros e, na dupla com Evguêni Kuznetsov, conquistou a prata, exatamente como um ano antes, na China.

Entre as novidades do Mundial de Barcelona, estão as provas de “high diving”, nas quais os homens deverão saltar de uma altura de 27 metros e as mulheres, de 18 metros.

“Como não há boas plataformas na Rússia, sou obrigado a treinar onde na China ou Áustria”, disse Artiom Siltchenko, uma das promessas russas para a categoria, ao jornal “Kommersant”. É possível que, a partir de 2015, essa modalidade passe a fazer parte do programa oficial do campeonato no Mundial de Kazan. 

Esforço antidoping

O diretor-executivo da Federação Internacional de Natação (Fina), Cornel Marculescu, anunciou que serão tomadas medidas severas contra o doping durante o Mundial de Barcelona.

No total, serão realizados cerca de 800 testes. A expectativa era de que 485 esportistas fossem submetidos a testes antes do Mundial e outros 320 sejam controlados no período das competições. Além disso, todos os nadadores que subirem ao pódio do campeonato passarão por um controle antidoping.  

 

Com materiais dos veículos Kommersant, ITAR-TASS e R-Sport  

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.