Rússia quebra recorde de medalhas na Universíada 2013

Organização da Universíada 2013 pode lançar Kazan como favorita à sede das Olimpíadas de 2024 Foto: Rossiyskaya Gazeta

Organização da Universíada 2013 pode lançar Kazan como favorita à sede das Olimpíadas de 2024 Foto: Rossiyskaya Gazeta

Jogos Universitários Internacionais em Kazan, na capital da república russa do Tatarstão, resultaram em muitas conquistas para a seleção russa. Além disso, evento esportivo apresentou a então pouco conhecida Kazan como uma das possíveis sedes para as Olimpíadas de 2024.

"Essa foi a maior Universíada da história”, declarou o presidente da Federação Internacional do Esporte Universitário (FISU), Claude-Louis Gallien, em um de seus numerosos discursos ao longo da realização dos Jogos Universitários realizados em Kazan entre os dias 6 de 17 de julho.

Ao longo dos 12 dias de evento, 10 mil atletas de 162 países disputaram os 350 conjuntos de medalhas. Foram destinados 228 bilhões de rublos (em torno de US$ 7 bilhões) aos preparativos para a Universíada em Kazan e construídas 64 instalações novas. A título de comparação, o orçamento da Copa do Mundo de 2018, que também será realizada na Rússia, totaliza 664 bilhões de rublos (cerca de US$ 20,49 bilhões).

Além disso, de acordo com o canal Eurosport, parceira oficial da FISU, o volume da audiência superou em duas vezes os indicadores da Universíada anterior, na China, e cerca de 110 países adquiriram os direitos de transmissão dos jogos.

Corrida pelo ouro

Na Universíada de Kazan, a seleção da Rússia alcançou o melhor resultado na contagem por equipes. O recorde anterior em relação ao total de medalhas de ouro (75), estabelecido há dois anos pelos chineses, foi superado pelos russos quando os jogos em Kazan haviam completado apenas metade de sua programação. Ao todo, a Rússia conquistou 292 medalhas (155 de ouro, 75 de prata e 62 de bronze), seguida pela China, com 77 medalhas, das quais apenas 26 foram de ouro.

Mas o russos tinham motivos para lutar: as bonificações pela vitória chegavam a 160 mil rublos (quase US$ 5 mil), fora os prêmios provenientes de subsídios das regiões. “Não tive tempo de ver nada, treinávamos o tempo todo”, contou à Gazeta Russa a atleta de nado sincronizado, Alla Shishkina, que imediatamente após conquistar o ouro em grupo deixou a cidade de Kazan a fim de se preparar para o Campeonato Mundial.

Futuro de Kazan

“Vejam como a Universíada transformou Kazan. Há uns quinze anos ela era uma cidade sem importância, e hoje é uma das mais belas cidades europeias”, disse o presidente Vladímir Pútin em um encontro com os atletas. A cidade foi visivelmente transformada, com a reparação das vias e desenvolvimento de estruturas que permitiram melhorar o trânsito.

A expectativa é de que a Universíada seja uma porta de entrada para grandes eventos esportivos em Kazan. No próximo ano, a cidade vai sediar o Campeonato Mundial de Esportes Aquáticos, e em 2018 será uma das sedes da Copa do Mundo de Futebol.

“Analisando as experiências dos Jogos Universitários do passado, pode-se dizer que, via de regra, serão realizados campeonatos mundiais em todas as modalidades de esportes que estavam no programa”, declarou o prefeito de Kazan, Lisura Metchin, ao término das competições. “O torneio mais próximo é o Campeonato de Esportes Aquáticos, que irá superar a Universíada em duração e em número de participantes.”

Entre os planos, Metchin não descarta concorrer à sede do Jogos Olímpicos de 2024. “Kazan pode manifestar o desejo, e as chances de sucesso serão grandes”, disse o secretário-geral do Comitê Olímpico da Rússia, Marat Bariev, após a Universíada.

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.