“Rússia deve aproveitar a Copa do Mundo 2018 para combater o racismo”, diz Fifa

Mundial ajudará a disseminar mensagens para combater o racismo no futebol Foto: AP

Mundial ajudará a disseminar mensagens para combater o racismo no futebol Foto: AP

País deverá utilizar seu poder de influência como anfitrião do evento para mobilizar as pessoas em torno da causa. Muitos foram os casos recentes de racismo envolvendo jogadores negros na Rússia.

O embaixador da Fifa Anthony Baffo acredita que a Rússia terá uma boa chance de mudar a situação do racismo no futebol mundial por sediar a Copa do Mundo de futebol em 2018.

"Sabemos que, na Rússia, aconteceram muitos incidentes [ligados à manifestação de racismo]. Acho que eles [os russos] devem aproveitar o fato de seu país ser o anfitrião na Copa do Mundo para informar as pessoas”, disse Baffo durante coletiva de imprensa realizada na última terça-feira (25).

O embaixador da Fifa alega que, depois do campeonato mundial de 2006, muitas pessoas mudaram a sua percepção da Alemanha, porque “uma atmosfera impressionante reinou no torneio”.

“Tenho certeza de que a Rússia aproveitará a sua chance. Eles devem envolver os jogadores que são estrelas do futebol nesse processo”, finalizou Baffo.

Os casos de racismo no futebol são frequentes na Rússia. O ex-jogador brasileiro Roberto Carlos, por exemplo, foi alvo de uma banana durante partida pelo Anji em 2011. 

 

Publicado originalmente pelo rsport.ru 

 

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.