Lenda britânica do remo treinará equipe russa

“Todos os principais treinadores do mundo se surpreenderam com os resultados da seleção russa nos últimos anos” Foto: RIA Nóvosti / Aleksêi Kudenko

“Todos os principais treinadores do mundo se surpreenderam com os resultados da seleção russa nos últimos anos” Foto: RIA Nóvosti / Aleksêi Kudenko

Últimas medalhas olímpicas dos remadores russos foram conquistadas em 2004, em Atenas.

A Federação de Remo da Rússia assinou um contrato com o lendário treinador britânico Mike Spracklen, que irá treinar oito remadores russos para os Jogos Olímpicos de 2016, no Brasil. Diante do técnico de 75 anos está o desafio de reviver as tradições do remo soviético.

As últimas medalhas olímpicas dos remadores russos foram conquistadas em 2004, em Atenas. Nos dois últimos Jogos Olímpicos, em Pequim e Londres, os atletas do país nem sequer chegaram à final das categorias que disputaram.

“Todos os principais treinadores do mundo se surpreenderam com os resultados da seleção russa nos últimos anos”, observou Spracklen. “Na Rússia, obviamente, existe um enorme potencial, há muitos atletas jovens bem treinados e, portanto, existem oportunidades para grandes vitórias. Por que as vitórias não estão acontecendo? É isso que deverei explorar.”

De acordo com o presidente da federação de remo russsa, Veniamin But, “estava claro que era necessário mudar completamente a situação”.

Biografia

Spracklen se projetou como treinador ainda nos Jogos de Montreal, em 1976, à frente do time britânico.

Sob seu comando, em Los Angeles, em 1984, os britânicos levaram o ouro, que não viam desde 1948, confirmando a boa fase quatro anos depois, em Seul. Daquela equipe vencedora fazia parte o lendário Steven Redgrave.

Além da equipe do Reino Unido, Spracklen também treinou a os Estados Unidos e o Canadá. Com os americanos, se destacou entre os primeiros no campeonato mundial em 1994. Com os canadenses ganhou duas medalhas olimpíadas (1992, 2008). Nos Jogos de Londres, a equipe de oito do Canadá ficou em segundo.

“É um novo desafio e eu o aceitei somente porque vi que na Rússia realmente querem reviver as tradições da escola soviética. Sem esse desejo, seria impossível construir a pirâmide necessária. Eu só preciso partilhar a minha experiência e direcionar os atletas no rumo certo”, disse Spracklen.

O esporte russo nos últimos anos tem atraído muitos treinadores estrangeiros, com resultados frequentemente positivos. Podemos lembrar o bronze da equipe russa no futebol, conquistado no Campeonato Europeu, em 2008, sob a orientação de Guus Hiddink, a medalha de bronze do time de basquete liderado por David Blatt nos Jogos de Londres e o sucesso enorme dos judocas russos sob a direção de Ezio Gamba, com a conquista de três medalhas de ouro em Londres.

 

Publicado originalmente pelo Kommersant

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.