Rússia entre os três líderes em ranking sobre influência global no esporte

Campeões olímpicos da Rússia apresentam tocha olímpica para os Jogos de 2014, em Sôtchi Foto: Photo / Mikhail Metzel

Campeões olímpicos da Rússia apresentam tocha olímpica para os Jogos de 2014, em Sôtchi Foto: Photo / Mikhail Metzel

País manteve posição do ano anterior e tem chances de encabeçar a lista por sediar grandes eventos esportivos no futuro próximo.

A nova classificação do projeto “Influência Global no Esporte” foi aprovada na convenção SportAkkord, realizada no último dia 30 em São Petersburgo. A posição do país no ranking reflete sua atividade na realização de grandes competições internacionais.

A Rússia manteve o terceiro lugar já conquistado no ano passado. O Reino Unido, por sua vez, foi desbancado pelo Canadá, que subiu da quinta para a segunda posição. A pátria do hóquei por ter ganhado o direito de sediar em 2015 os Jogos Panamericanos e a Copa do Mundo de futebol feminino.

Parte dos pontos são atribuídos aos países assim que eles recebem o direito de sediar qualquer evento esportivo. Ao término dessas competições, as regiões geralmente apresentam novo aumento, conforme o nível de sua organização. “Por isso, a Rússia tem todas as chances de encabeçar essa classificação”, diz Igor Zelenitsin, redator-chefe do site Euroesport.ru.

“Nos próximos cinco anos serão realizadas as maiores competições mundiais: o Campeonato Mundial de Futebol, os Jogos Olímpicos de Inverno, o Grande Prêmio da Fórmula 1, o Campeonato Mundial de Atletismo e a Universíada”, acrescenta Zelenitsin.

Esses campeonatos prometem elevar a posição da Rússia, porque “os concorrentes Canadá e a China não terão torneios significativos no futuro próximo”, sugere o jornalista. Além disso, as autoridades da China, que foi a primeira colocada, anunciaram que pretendem concentrar esforços em políticas internas voltadas para o esporte, como a iniciativa “Esporte para Todos”.

“É necessário sempre querer o melhor. Mas isso deve ser feito com inteligência, calculando as forças”, afirma o chefe da direção organizadora do Comitê Olímpico, Iúri Iuriev.

“O terceiro lugar da Rússia não é ruim. Num futuro próximo nós teremos grandes competições internacionais. Mas será que precisamos disso? Há diversas opiniões, pois tudo isso está relacionado também com o estado da economia no país”, completa Iuriev.

O projeto “Influência Global no Esporte” é apoiado por diferentes organizações governamentais e entidades científicas. Cada campeonato ou torneio recebe um determinado coeficiente, que é calculado por uma série de critérios. E estes critérios não são apenas esportivos, mas também econômicos e políticos.

 

Publicado originalmente pela Voz da Rússia

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.