Luta olímpica entra na lista final do COI para os Jogos Olímpicos de 2020

Luta foi retirada em fevereiro após análise do relatório apresentado por comissão especial do COI em Londres   Foto: ITAR-TASS

Luta foi retirada em fevereiro após análise do relatório apresentado por comissão especial do COI em Londres Foto: ITAR-TASS

Excluída do programa olímpico em fevereiro passado, a luta olímpica está novamente na disputa para os Jogos de 2020 ao lado do beisebol e do squash. Essas três modalidades foram escolhidas em um encontro da comissão executiva do Comitê Olímpico Internacional (COI), em São Petersburgo, na quarta-feira passada (29). A votação final acontecerá em setembro.

A comissão executiva do COI reunida em São Petersburgo escolheu a luta olímpica, o beisebol e o squash para disputar uma vaga no programa olímpico de 2020, deixando à margem os esportes sobre patins, escalada esportiva e o caratê.

Modalidade tradicional do programa olímpico desde a antiguidade clássica até as Olimpíadas recentes, a luta havia sido retirada da lista dos esportes olímpicos em fevereiro deste ano por recomendação da comissão do COI. A decisão havia sido aprovada com base em um relatório da comissão especial encarregada de analisar as modalidades olímpicas disputadas em Londres.

Para voltar aos Jogos Olímpicos, a Federação Internacional de Lutas Associadas (FILA) transferiu a presidência do órgão para Nenad Lalovic e simplificou o regulamento das provas durante um congresso realizado em meados de maio na capital russa.

Em seis Olimpíadas disputadas pela Rússia moderna, os lutadores nacionais faturaram 51 medalhas, das quais 25 foram de ouro. Turquia, Japão e EUA também são países que possuem maior número de medalhas nessa modalidade.

“Apesar de a luta ter sido incluída na lista final na primeira votação, ainda é cedo para cantar vitória”, adverte o presidente do Comitê Olímpico Nacional da Rússia, Aleksandr Jukov.

Tudo leva a crer que a luta é a grande favorita, por se tratar de um esporte antigo, com ampla difusão no mundo e aberto a reformulações. Por outro lado, o COI insiste em apresentar uma nova modalidade nos Jogos de 2020 – esse é o caso do squash, por exemplo.

O beisebol permaneceu no programa olímpico entre 1992 a 2008 e acabou sendo retirado às vésperas das Olimpíadas de Londres devido à falta de interesse dos telespectadores.

A próxima votação acontecerá na cidade de Buenos Aires em setembro deste ano, quando também serão definidos o sucessor do atual presidente do COI, Jacques Rogge, e a sede dos Jogos Olímpicos de 2020. A disputada para abrigar as Olimpíadas que sucederão o evento no Rio de Janeiro está entre Tóquio, Istambul e Madri.

 

Publicado originalmente pelo Kommersant

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.