CSKA se sagra campeão russo com uma rodada de antecedência

Pela quarta vez em sua história e a uma rodada do fim do torneio, o CSKA Moscou conquistou o título russo de futebol da temporada 2012/2013 Foto: AP

Pela quarta vez em sua história e a uma rodada do fim do torneio, o CSKA Moscou conquistou o título russo de futebol da temporada 2012/2013 Foto: AP

Troféu ganha sabor especial para o clube por ter sido conquistado em uma época em que o CSKA se apresentava enfraquecido no cenário interno.

Pela quarta vez em sua história e a uma rodada do fim do torneio, o CSKA Moscou conquistou o título russo de futebol da temporada 2012/2013. 

O troféu deste ano ganha sabor especial para o clube por ter sido conquistado em uma época em que o CSKA se apresentava enfraquecido no cenário interno. Líder do futebol nacional no início da década de 2000, o clube tem em seu currículo os títulos dos campeonatos de 2003, 2005 e 2006 e da Copa da UEFA (atual Liga Europa) de 2005.

Na atual temporada, o time não era considerado favorito, posição ocupada pelo Zenit, São Petersburgo, atual bicampeão, liderado pelo técnico italiano Luciano Spalletti. Outro favorito era o Anzhi Makhatchkala, que conta com estrelas internacionais como Samuel Eto'o e Lassan Diarra.

A tática do CSKA de buscar reforços em campeonatos nacionais do segundo escalão ao invés de investir dezenas de milhões de euros em estrelas internacionais acabou dando certo. No campeonato holandês, os agentes do clube encontraram dois suecos, Pontus Wernbloom e Rasmus Elm, que transformaram o centro do campo em um reduto impenetrável.

Também da Holanda, o clube contratou o nigeriano Ahmed Moussa. No momento crucial, ele substituiu o lesionado artilheiro da equipe, Seydou Doumbia, que, por sinal, foi encontrado no campeonato suíço, que não é visto entre os mais prestigiados do mundo.

Sucesso

Entre outros ingredientes do sucesso, especialistas citam as relações de confiança entre  presidente e treinador. Em 2009, o presidente do CSKA, Evguêni Guiner, contratou Leonid Slutski, um treinador talentoso, mas sem grandes conquistas no currículo. Ao contrário de muitos gerentes esportivos atuais, Guiner mostrou um impressionante sangue frio e não demitiu Slutski na temporada passada, quando o CSKA perdeu não só o primeiro, mas também o segundo lugar.

O início desta temporada também não foi bom para o clube, que caiu da Liga Europa já na fase eliminatória. O fracasso fez com que o clube conseguisse bons resultados no campeonato nacional. Com o tcheco Tomas Necid e o marfinense Seydou Doumbia fora dos campos devido a lesões, a diretoria do clube colocou Moussa como centroavante, embora ele tivesse sido contratado para reforçar a ala.

Durante o campeonato, também ficaram fora por lesão o sérvio Zoran Tosic, o japonês Keisuke Honda e o chileno Mark Gonzalez.

Deve-se mencionar também o retorno do atacante brasileiro Vágner Love à equipe, adorado pela torcida do CSKA. Vale notar que seu retorno não custou nada ao clube: o Flamengo, vivendo problemas financeiros, se viu obrigado a devolver o jogador por não ter conseguido pagar na íntegra a quantia devida ao CSKA.

Love apareceu em ocasião oportuna, às vésperas do início da fase final do campeonato,  acumulando as funções de atacante e de criador de jogadas, levando em conta que Keysuke Honda, o meia armador da equipe, estava lesionado. Em nove partidas, Love marcou cinco gols e deu cinco assistências.

Um episódio emocionante ocorreu após o fim da partida decisiva contra o Kuban: com o troféu nas mãos, Vágner correu para Evguêni Guiner e, estendendo-lhe a taça, disse em russo: "Isso é para você!"


Com materiais do Kommersant e do Lenta.ru 

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.