A trajetória de ascensão do futebol de areia russo

Após sagrar-se campeã mundial em 2011, seleção vai para campeonato deste ano como favorita Foto: RIA Nóvosti

Após sagrar-se campeã mundial em 2011, seleção vai para campeonato deste ano como favorita Foto: RIA Nóvosti

Seleção de futebol de areia russa conseguiu percorrer, em apenas seis anos, todo o caminho desde um grupo de entusiastas até a hegemonia mundial; neste ano, no Taiti, time tentará o bi mundial.

Em um país que fica coberto de neve por seis meses no ano, a prática de um esporte como o futebol de areia é algo realmente exótico. Mas é exatamente nessa modalidade esportiva que a seleção nacional russa conseguiu ganhar destaque.

Ravenna, Itália, setembro de 2011, final da Copa do Mundo de Futebol de Areia. A seleção da Rússia, contra todas as previsões, torna-se campeã, batendo o Brasil, a equipe mais forte do mundo à época, por 12 a 8.

Os fãs de esporte russos, acostumados às atuações fracas da sua seleção de futebol, viram a vitória na areia como um motivo de orgulho nacional.

A conquista de 2011 também suscitou surpresa dentro da seleção brasileira. Na época, ninguém conseguia explicar a derrota para um país onde a temporada de futebol de areia dura apenas cinco meses e dotado de apenas uma arena coberta.

O Brasil, local onde a modalidade é muito popular em diversas regiões, foi hegemônico durante muitos anos, até a final em terra italiana marcar o início de uma nova era –a da dominação dos “praianos” russos.

Trajetória

A seleção de futebol de areia russa conseguiu percorrer, em apenas seis anos, todo o caminho desde um grupo de entusiastas até a hegemonia mundial. As origens da seleção estão ligadas ao jogador Nikolai Pisarev, conhecido por sua atuação no Spartak de Moscou. 

Em 2005, Pisarev tornou-se treinador de uma modalidade esportiva até então desconhecida na Rússia. De acordo com as palavras do próprio Pisarev, em 2005, os jogadores começaram pelo básico: acostumando-se a jogar com os pés descalços na areia e estudando as regras.

O futebol de areia é muito diferente do futebol clássico em diversos aspectos: na cobertura e nas dimensões da área de jogo e na duração da partida, dividida em três tempos de 12 minutos. Além disso, cada equipe conta com cinco jogadores –quatro de linha e um goleiro.

Em uma área menor, o jogo é mais dinâmico do que no futebol clássico –não é raro  uma equipe marcar gols da sua própria metade do campo. A divisão dos jogadores entre defensa e ataque também é menos pronunciada –a força não é o fator preponderante, é a técnica que ocupa o primeiro plano.

"No início, éramos entusiastas. Foi um verdadeiro evento quando começamos a aparecer na TV. Com os resultados, atraímos atenção”, recorda o capitão da seleção da Rússia, Ilía Leonov, escolhido o melhor jogador da Copa do Mundo de 2011.

De sua fundação, a seleção russa recém-nascida progrediu rapidamente: já em 2007, na liga de futebol de praia da Europa, o time levou a medalha de bronze, conquistando uma vaga no Campeonato Mundial de 2007. No ano de estreia em mundiais, o time ficou em 12º lugar.

Nos mundiais de 2008 e 2009, os russos conseguiram avançar às quartas-de-final. Já no campeonato seguinte, em 2011, a equipe, liderada pelo novo treinador, Mikhail Likhachev, parecia realmente poderosa. Ao longo de todo o torneio o time não sofreu uma única derrota, enfrentando com segurança as fortes equipes do México e de El Salvador nos playoffs e terminando com uma vitória histórica sobre a seleção do Brasil.

"Eu me lembro que os canais de TV locais do Brasil repetiam a pergunta: ‘Como vocês se tornaram campeões do mundo?’”, conta Leonov. "Conseguimos constituir um time e acumulamos experiência e compreensão mútua. Então veio Likhachev, e tudo isso derivou nesses resultados. Bem, também estávamos com um preparo físico incrível."

O bom entrosamento do time é fácil de explicar: quase todos os jogadores da seleção jogam no Locomotiv de Moscou, líder russo do futebol de areia de clubes. O campeonato de futebol de areia da Rússia é realizado desde 2005.

Apesar de 16 equipes participarem do torneio, a disputa pelo título é travada  entre dois clubes de Moscou –o Lokomotiv e o Strogino.

Em Moscou, às margens do Rio Moscou, localiza-se a única escola infantil de futebol de praia da Rússia. É verdade que não há um salão coberto para treinos de outubro a maio, o que obriga jogadores a viajar para o Sul da Rússia, na costa do mar Negro, ou para São Petersburgo, onde há um espaço especialmente equipado.

Reconhecimento

Os jogadores da seleção russa tornaram-se conhecidos em sua terra natal apenas depois da vitória da Copa do Mundo, quando os líderes da seleção –o capitão Leonov, o goleiro Andrêi Bukhlitskiy e os atacantes Dmítri Shishin e Iegor Shajkov– começaram a ser convidados para entrevistas na televisão.

No entanto, é impossível comparar sua popularidade com a dos jogadores da seleção russa de futebol, apesar dos resultados desses últimos serem muito menos significativos. Eles também não podem ser comparados em relação aos ganhos.

"Pela vitória na Copa do Mundo, cada um recebeu 420 mil rublos (US$ 14 mil)" disse Leonov.  "Foi minha maior recompensa em todo o tempo que eu jogo".

Continuidade

O sucesso de 2011 não foi casual. O triunfo no mundial foi seguido pelas vitórias na Copa Intercontinental, o segundo maior torneio de futebol de areia, que ocorre todos anos nos Emirados Árabes Unidos. Tanto em 2011 como em 2012, a seleção russa bateu os brasileiros na final.

Em setembro deste ano, o Taiti sediará a próxima Copa do Mundo. Leonov e companhia esperam repetir o sucesso de dois anos atrás.

Os pré-requisitos para o feito existem: espinha dorsal do time bem entrosada, composta por jogadores reconhecidos, experiência e espírito vencedor.

No Taiti, no entanto, não será fácil para os “praianos” russos: os brasileiros, com saudades das grandes vitórias, sem dúvida estarão inflamados pelo desejo de revanche contra o surpreendente time de futebol de areia da gelada Rússia.

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.