Como mudar para a Rússia driblando a burocracia

Centro Empresarial de Moscou

Centro Empresarial de Moscou

Reuters
Visto de trabalho ou estudante facilitam estadia no país. Conheça mais detalhes abaixo.

Em 2016, o governo russo emitiu 9,5 milhões de passaportes, 1,5 milhão de licenças de trabalho, 323,000 permissões de residência temporária e outras 185 mil de residência permanente. A maioria das pessoas que migram por um longo período são provenientes da Ásia Central, Ucrânia e Bielorrússia, mas há gente de todo lugar.

Concorra a uma vaga na universidade e obtenha visto de estudante

A maneira mais fácil de viver na Rússia é estudando, inclusive para quem deseja conseguir uma bolsa. Muitas universidades têm cotas para estrangeiros, e, no caso de admissão, o estudante recebe o convite para obter um visto de estudante.

Este é o caso do sul-coreano Chiyun Chhve, que estuda na Academia de Teologia Ortodoxa de São Petersburgo. Apesar da sua especialização incomum, as regras de vistos comuns eram aplicáveis à instituição educacional escolhida.

O estudante sonha em se tornar sacerdote ortodoxo e retornar a Seul para realizar cerimônias religiosas para os russos locais. Chiyun fala russo quase perfeito e mora em um alojamento com russos e outros estrangeiros.

Em grande parte das universidades, é possível obter um visto de múltipla entrada por um ano e depois estende-lo anualmente.

Vantagens:

Você pode viver na Rússia por quatro anos (tempo médio para obter diploma de bacharelado) e ver se é isso que realmente quer. De qualquer modo, você obterá uma autorização de residência temporária por meio de um procedimento mais simples.

Além disso, com a identificação de estudante, é possível ter desconto na entrada de museus (e estrangeiros costumam, geralmente, pagar ainda mais caro para entrar), e os bilhetes de transporte público podem ser adquiridos por metade do preço.

Desvantagens:

O visto de estudante não dá direito a trabalhar legalmente no país.

Ache um emprego e assine um contrato de três anos

Outra maneira de viver na Rússia é encontrando um emprego formal.

Embora os migrantes que não necessitam de visto (como cidadãos das ex-repúblicas da URSS) precisem apenas de uma licença de trabalho para permanecer no país, muitas outras nacionalidades, incluindo brasileiros, devem obter uma autorização e um visto de trabalho. Essa opção, aliás, não é para quem quer se aventurar em qualquer tipo de emprego.

Ao planejar obter um emprego, lembra-se: o processo só será possível se uma empresa já quiser muito contratá-lo. Há uma cota para a contratação de funcionários estrangeiros, e é necessário fazer um registro junto ao órgão federal migração, que emite uma licença e um convite. Ou você pode cortar caminho se for um especialista altamente qualificado que ganhe mais de 2 milhões de rublos (US$ 33,7 mil) ao ano.

O padrão, porém, é encontrar um emprego antes de migrar, obter um convite de visto do empregador, obter uma cópia traduzida e juramentada de seu passaporte e diploma, fazer um exame médico e provar seu conhecimento do russo. O visto de trabalho é concedido por até três anos. Se você, de repente, decidir deixar a empresa A e assumir um novo emprego na empresa B, será preciso um novo convite e visto.

“Procurei e encontrei emprego formal em São Petersburgo”, conta a lituana Anna. “Eles estavam dispostos a me contratar, mas quando descobriram quanto tempo eles teriam que gastar em diferentes órgãos governamentais, eles sugeriram que eu começasse a trabalhar ilegalmente. E assim entrei para a empresa”.

Vantagens:

Se você estiver na mira de uma empresa, o processo será relativamente simples – pelo menos, para você.

Desvantagens:

Se você perder o emprego, terá que sair do país. E, se mudar de empregador, então terá que começar o processo todo de novo.

Quer receber as principais notícias sobre a Rússia em seu e-mail?
Clique aqui para assinar nossa newsletter.

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.