Por dentro das megaestruturas russas: a maior reserva do mundo para a extração de diamantes

Com 525 metros de profundidade e 1,2 km de diâmetro, Mir é uma das maiores minas do mundo.

A Alrosa produz mais diamantes brutos do que qualquer outra empresa no mundo.

A companhia russa responde por 97% de todos os diamantes brutos na Rússia e quase um terço de toda a produção mundial.

Até 2013, de acordo com o código JORC (Comitê Conjunto de Reservas Minerais), as reservas e recursos da empresa somavam 971,1 milhões de quilates.

Suas principais instalações de produção estão localizadas na Iakútia ocidental.

Foi precisamente na Iakútia que a empresa descobriu seus dois maiores depósitos de diamantes, Mir e Udátchnaia.

VEJA TAMBÉM: 5 mistérios que rondam as joias imperiais russas 

Além do campo de produção na cidade de Mirni, conhecida como capital de diamantes da Rússia, a Alrosa possui outros 21 depósitos em operação.

A empresa também produz diamantes na região do Arkhanguelsk e na África.

Conta com um total de 40.000 especialistas em diferentes áreas.

A sede da Alrosa fica em Mirni (1.200 km de Iakutsk), que tem população de 35.000 habitantes. Para se ter ideia, 80% dos locais trabalham para a empresa.

Com 525 metros de profundidade e 1,2 km de diâmetro, a mina de Mirni é uma das maiores do mundo – sendo suficiente profunda para engolfar a Torre Ostankino, de Moscou.

Na mina, o trabalho é realizada dia e noite, todos os dias da semana. As únicas folgas são no Ano Novo e na data em que é celebrado o Dia do Mineiro.

Os mineiros e operários trabalham em turnos. Para não interromper o fluxo de trabalho, foram introduzidos três turnos de sete horas.

Todos os diamantes produzidos nos campos da empresa em Iakútia são enviados para o centro de seleção da Mirni.

Ali os diamantes são pesados, avaliados e classificados por tamanho, antes de serem esculpidos.

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies