Brics realizarão projetos infraestruturais conjuntos

Reuters
Países do grupo precisam incrementar comércio em moedas nacionais para garantir crescimento econômico do grupo, segundo diretor do FID (Fundo de Investimentos Diretos da Rússia).

Os países do Brics (Brasil, Rússia Índia, China e África do Sul) planejarão projetos infraestruturais conjuntos durante a cúpula na África do Sul, segundo o chefe do FID (Fundo de Investimentos Diretos da Rússia) e membro do Conselho Empresarial do Brics Kirill Dmitriev.

"Em integração com a União Econômica da Eurásia e a Iniciativa da Rota da Seda, os países do Brics desenvolverão infraestrutura conjunta com ajuda de investidores e fundos dos países membros do grupo”, disse Dmitriev à agência de notícias russa Tass.

“Hoje, a economia mundial precisa de US$ 3,8 trilhões de investimentos em infraestrutura por ano, e o trabalho conjunto do Brics permitirá realizar um avanço significativo no aumento desses investimentos”, disse.

“Os países do Brics representam mais 25% do PIB mundial e têm um potencial significativo de avanço tecnológico.

Pagamentos em moedas nacionais.

Durante a cúpula, os representantes do Brics concordaram em aumentar o volume de pagamentos em moedas nacionais para acelerar o crescimento econômico, segundo Dmítriev,

“Hoje, a Rússia e a China são líderes entre os Brics no montante de pagamentos mútuos em moedas nacionais [cerca de 20% dos contratos são fechados em rublos ou yuans] e podem compartilhar suas bem-sucedidas experiências com outros países do grupo", disse.

A percentagem de pagamentos dentro do Brics em rublos aumentou de 3%, em 2014, para quase 8%, em 2018, segundo o Banco Central da Rússia.

"As moedas do Brics têm um enorme potencial de crescimento. A participação atual de yuan no comércio internacional é de 1%; do rand sul-africano, de 0,28%; e do rublo, de 0,26%. Em colaboração com parceiros chineses, o FID criará fundos especiais para investimentos diretos em moedas nacionais", completa.

Quer receber as principais notícias sobre a Rússia em seu e-mail? 
Então assine nossa newsletter semanal ou diária.

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies