Por que companhias estrangeiras continuam a investir na Rússia?

McDonald’s funcionará na Rússia apenas com ingredientes do próprio país

McDonald’s funcionará na Rússia apenas com ingredientes do próprio país

Getty Images
Crise econômica dificultou a a vida das multinacionais operando na Rússia, mas ainda há meios de tirar proveito do cenário, e um deles é localizar a produção.

Na semana passada, a marca alemã Adidas revelou estar planejando fechar 160 lojas na Rússia até o final de 2017. A multinacional começou a reduzir os negócios no país  há três anos e muitas lojas já fecharam – enquanto a demanda do consumidor continua a se reduzir com a crise econômica.

Outras companhias internacionais também têm repensado suas estratégias na Rússia, segundo o vice-presidente da associação a pequenos e médios empresários Opóra Rossii, Pável Sigal.

“A desvalorização do rublo tornou a localização dos negócios uma das opções mais atraentes. A maior parte das corporações não ousou usar essa estratégia, mas a adaptação gradual da economia russa às sanções vai acabar levando-as por esse caminho. O custo da mão-de-obra na Rússia tornou-se mais baixo que na China e as grandes companhias não podem ignorar isso”, diz Sigal.

Apesar de a localização ainda não ter se tornado uma tendência, já houve alguns casos notáveis. A Gazeta Russa selecionou cinco deles:

DMG MORI

Planta da DMG MORI em Uliánovsk, na Rússia (Foto: Divulgação)Planta da DMG MORI em Uliánovsk, na Rússia (Foto: Divulgação)

A fábrica nipo-germânica de máquinas de corte e tornos DMG MORI tornou-se oficialmente russa em setembro de 2016 após a assinatura de um contrato especial de investimento com o Ministério da Indústria e do Comércio da Rússia.

Esse tipo de documentos foi introduzido em 2015 e garante uma série de benefícios e subsídios do governo para investidores potenciais que correspondam a determinados critérios.

Agora a DMG MORI tem sua própria fábrica na cidade de Uliánovsk e quer aumentar a localização em até 70%. Fornecedora principalmente de clientes russos, a companhia também planeja exportar até 5% de sua produção na Rússia.

Mercedes-Benz (Daimler)

Gerentes da Mercedes-Benz e representantes russos e alemães em uma cerimônia para celebrar a nova fábrica da marca no parque industrial de Iesipovo (Foto: Serguêi Bobilev / TASS)Gerentes da Mercedes-Benz e representantes russos e alemães em uma cerimônia para celebrar a nova fábrica da marca no parque industrial de Iesipovo (Foto: Serguêi Bobilev / TASS)

Em fevereiro, a companhia automotiva alemã Daimler também decidiu localizar a produção de uma de suas marcas na Rússia. A Mercedes-Benz ganhará uma nova planta próxima a Moscou após a assinatura de um acordo especial de investimento entre a Daimler e o governo russo.

A marca alemã vai investir mais de 279 milhões de dólares na construção da nova fábrica da Mercedes, que produzirá mais de 20 mil veículos por ano e empregará cerca de mil pessoas.

Com o investimento, a marca será uma fabricante russa oficialmente com acesso a encomendas estatais. Provavelmente, eremos ainda mais Maybachs com oficiais engravatados dentro rodando por Moscou.

Haval (Great Wall Motors)

(Vídeo: Bilfinger)

Outro fabricante automotivo, o chinês Haval of Great Wall Motors também está construindo uma planta na região russa de Tula. A fábrica deverá ser inaugurada em 2018 e criará 2.500 empregos, produzindo até 150 mil carros por ano.

O investimento total no projeto é de 500 milhões de dólares, e esta será a primeira fábrica automotiva russa com quatro processos de produção na Rússia.

O projeto também poderá beneficiar a indústria química de Tula e as empresas de metalurgia da região devem se tornar fornecedoras da Great Wall.

Sun Pharma

Aquisição da Biosintez mostra o comprometimento da Sun Pharma com a Rússia e com o plano Rússia 2020 de localização (Foto: Sun Pharma)Aquisição da Biosintez mostra o comprometimento da Sun Pharma com a Rússia e com o plano Rússia 2020 de localização (Foto: Sun Pharma)

A Sun Pharma, maior fabricante de medicamentos da Índia, deixou sua marca na Rússia em 2016 ao comprar a farmacêutica russa Biosintez por 60 milhões de dólares.

O negócio deu aos indianos acesso à produção local de produtos como medicamentos para injeções, conservantes de sangue, ampolas, comprimidos etc.

A aquisição segue um plano obrigatório de localizaçõ na Rússia que exige que todas as companhias farmacêuticas tenham uma base local no país até 2020.

McDonald's

A rede fast-food planeja abrir mais 50 restaurantes na Rússia neste ano. (Foto: Valéri Sharifulin / TASS)A rede fast-food planeja abrir mais 50 restaurantes na Rússia neste ano. (Foto: Valéri Sharifulin / TASS)

Em 2016, o gigante do fast-food McDonald’s anunciou planos de receber todos seus ingredientes de dentro da própria Rússia.

Desde então, a companhia vem substituindo gradualmente suas importações com ingredientes produzidos localmente, em uma tentativa de diminuir o impacto das oscilações da moeda e das sanções sobre alimentos.

Hoje, o nível de localização da empresa chegou aos 88%, e há planos de aumentá-lo para 90% com o lançamento da produção de batatas fritas russas.

Quer receber as principais notícias sobre a Rússia em seu e-mail?
Clique aqui para assinar nossa newsletter.

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.