Diretores de cinema querem fast-food russo

Polêmico, Mikhalkov quer agora competir com McDonald's

Polêmico, Mikhalkov quer agora competir com McDonald's

TASS
Kontchalovski e Mikhalkov abrirão rede com subsídio estatal até o final do ano. Um exército de 90 chefs em 41 restaurantes terão serviço de delivery.

Até o final de 2017, os renomados diretores de cinema e irmãos Nikita Mikhalkov e Andrêi Kontchalovski abrirão sua rede de fast-foods de comida tradicional russa “Iedim kak doma” (“Comamos como em casa”).

Para tanto, o governo prometeu terrenos e descontos nos impostos dos cineastas-empreendedores, que prometem um batalhão de 90 chefs em 41 restaurantes com serviço de delivery.

Céticos como o diretor da agência de publicidade “RestConsulting”, Serguêi Mironov, dizem que a ideia não pega.

“Em tempos de crise, entrar no mercado sem boas ideias e uma boa equipe é absurdo. Nossos consumidores querem pedir em restaurantes justamente aquilo que não conseguem comer em casa. E se compararmos os russos com os europeus, veremos que aqueles frequentam muito menos restaurantes”,  disse ao jornal Kommersant.

Para o presidente da Federação dos Restaurantes e Hoteleiros da Rússia, Ígor Bukharov, é impossível concorrer com redes internacionais, ainda mais porque o país não se recuperou ainda da alta do dólar, do embargo e da queda do poder de compra.

“Não tem como competir, por exemplo, com o McDonald’s, porque essa rede pode se dar ao luxo de baixar os preços para aumentar as vendas”, disse ao Kommersant.

Já a analista de mercados do jornal russo, Dária Tsivina, acredita que serão os estabelecimentos de comida pan-asiática que manterão popularidade no futuro próximo, e um fast-food russo só poderia se tornar tendência com apoio estatal.

Kontchalovski se uniu ao polêmico irmão, o também cineasta Nikita Mikhalkov, para concorrer com McDonald's. / Foto: Ekaterina Chesnokova/RIA NôvostiKontchalovski se uniu ao polêmico irmão, o também cineasta Nikita Mikhalkov, para concorrer com McDonald's. / Foto: Ekaterina Chesnokova/RIA Nôvosti

No final do ano passado, o departamento de mercadorias e serviços da cidade de Moscou contabilizou um total de 12 mil estabelecimentos de alimentação na capital russa.

Esses locais oferecem 47 assentos em cafés e restaurantes para cada mil habitantes da cidade, enquanto o regulamento urbano estabelece 60. Assim, até em Moscou há espaço  para novos estabelecimentos.

Um estudo do jornal econômico russo RBC apontou ainda para um crescimento de 200% em todo o mercado russo de restaurantes na próxima década.

Quer receber as principais notícias sobre a Rússia em seu e-mail? Clique aqui para assinar nossa newsletter.

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.