Investimento estrangeiro volta a crescer na Rússia

Pútin: "Já podemos afirmar que uma nova fase de recuperação econômica começou".

Pútin: "Já podemos afirmar que uma nova fase de recuperação econômica começou".

Reuters
Número de acordos foi recorde dos últimos três anos, de acordo com anúncio feito pelo presidente Pútin no Fórum Econômico de São Petersburgo. Europa continua a ser principal investidora.

O presidente russo Vladímir Pútin  anunciou que o investimento estrangeiro continua a crescer no país desde o início de 2017. A declaração foi feita durante o 21º Fórum Econômico Internacional de São Petersburgo, que terminou no último sábado (3).

"No primeiro trimestre de 2017, os investimentos estrangeiros diretos na economia russa ultrapassaram os US$ 7 bilhões. Este é o melhor indicador dos últimos três anos", disse Pútin.

O PIB (produto interno bruto) da Rússia começou a crescer no terceiro trimestre de 2017. Em abril de 2017, o aumento foi de 1,4%, segundo o presidente.

"Já podemos afirmar que uma nova fase de recuperação econômica começou. O aumento nas vendas de carros e nos empréstimos hipotecários são os principais indicadores dessa recuperação”, disse Pútin.

Atraente

Segundo um estudo divulgado em 1° de junho pela empresa de consultoria Ernst & Young (E&Y), a Rússia subiu para o 7º lugar entre os países europeus mais atraentes para os investidores estrangeiros.

Em 2016, o número de projetos em território russo com participação de capital estrangeiro aumentou para 205, o maior indicador desde o ano de 2005.

O número de transações envolvendo capital estrangeiro também aumentou 61%, em comparação com os indicadores de 2015.

Assim, a Rússia ultrapassou a Bélgica, que caiu de sexto para oitavo lugar no ranking dos mais atraentes para o capital estrangeiro.

Quem investe

Alemanha e Estados Unidos são os investidores que mais injetam capital na Rússia.

"Em 2016, o número de projetos com participação alemã aumentou quase 20%: de 36 para 43, enquanto o número de projetos norte-americanos subiu 31%, chegando a 38”, afirma Aleksandr Ivlev, gerente associado da Ernst & Young Russia.

A porção ocidental da Europa continua a ser o principal investidor na economia russa. Em 2016, 98 projetos lançados na Rússia foram encabeçados por investidores dessa região (em 2015, foram 100 projetos).

A Rússia também tem um grande potencial para atrair investimentos da Ásia e do Oriente Médio, segundo Artur Parfiêntchikov, governador interino da República da Carélia, região russa que faz fronteira com a Finlândia.

“Neste ano, o investimento continuará a crescer em uma proporção de 20% a 30%. Temos um grande mercado interno, com enorme potencial . E a Rússia está mais atraente graças ao aumento nos preços do petróleo, ao rublo mais estável e à redução das barreiras administrativas”, disse Parfiêntchikov no fórum.

"Devido à volatilidade da taxa de câmbio do rublo, aos riscos geopolíticos e à alta inflação, os investidores evitaram negócios na Rússia, temendo perder capital", explica o analista da consultoria “Finam”, Timur Nigmatúllin.

Pouco a pouco, a situação começou a voltar ao normal, e os investidores começam a prestar atenção novamente ao mercado russo.

“A China e os países árabes, porém, ainda não se correm para investir grandes quantias na Rússia”, completa.

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.