Rosneft no Brasil busca acesso a tecnologia norte-americana

Projeto é realizado em conjunto com americana Schlumberger e a brasileira Queiroz Galvão Óleo e Gás.

Projeto é realizado em conjunto com americana Schlumberger e a brasileira Queiroz Galvão Óleo e Gás.

Reuters
Objetivo de estatal russa ao iniciar perfuração na bacia de gás do Solimões era contornar sanções, dizem especialistas.

A estatal Rosneft, maior petrolífera russa, escolheu participar do projeto de exploração da bacia do Solimões não para produzir mais commodities, mas para ter acesso a novas tecnologias de extração de petróleo e gás em condições complexas, afirma o analista-chefe da Fundação Nacional de Segurança Energética, Ígor Iuchkov.

No final de fevereiro, a Rosneft Brasil, subsidiária da Rosneft russa, iniciou a perfuração do primeiro poço de exploração na Bacia do Solimões.

O projeto é realizado em conjunto com a petrolífera americana Schlumberger e a brasileira Queiroz Galvão Óleo e Gás (QGOG).

Especializada em serviços para petrolíferas, a Schlumberger já havia prestado serviços à Rosneft na Rússia. Mas, em 2014, após a introdução de sanções contra a Rússia pelo governo norte-americano, a empresa teve que congelar operações no mercado russo.

"A Rosneft precisa de experiência de trabalho em jazidas complexas como as plataformas continentais do mar profundo", diz Iuchkov.

Segundo ele, a estatal russa precisará dessas tecnologias para explorar jazidas no Mar Negro e no Ártico. 

Uma mão lava a outra

O projeto é benéfico para todas as partes, diz o analista do banco VTB 24, Oleg Dúchin.

Assim, enquanto a Rosneft recebe status de operadora no Brasil, também tem mais oportunidades de participar em licitações para a aquisição de jazidas de petróleo em plataformas continentais do país, assim como na aquisição de ativos da Petrobrás.

Já a Schlumberger tem a oportunidade de trabalhar em um novo projeto global como operadora.

"O Brasil, por sua vez, tem uma operadora que ajuda a desenvolver jazidas nas áreas remotas no norte do Amazonas”, completa Dúchin.

Um representante da assessoria de imprensa da Rosneft confirmou à Gazeta Russa que a empresa usa a cooperação com a Schlumberger para ter acesso a novas tecnologias de exploração.

"A prestadora de serviços não transfere as tecnologias, mas fornece dados sobre a estrutura geológica da jazida necessária para perfuração", disse.

A Schlumberger venceu uma licitação pública da Rosneft para prestar serviços na perfuração no projeto Solimões porque “a oferta da empresa franco-americana foi a mais economicamente atraente".

“A Rosneft está colaborando com a Schlumberger em projetos não apenas na Rússia, mas em todo o mundo, inclusive na Venezuela e no Vietnã", completou o representante da assessoria de imprensa da Rosneft.

Quer receber as principais notícias sobre a Rússia em seu e-mail? Clique aqui para assinar nossa newsletter.

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.