Produção de caviar negro dobrará na Rússia até 2030

Em 2002, a Rússia impôs uma proibição geral na exportação de caviar negro.

Em 2002, a Rússia impôs uma proibição geral na exportação de caviar negro.

Kommersant
Após anos em queda, commodity se recupera; produto foi alvo de sanções.

O diretor da Rosribolovstvo (agência federal responsável pelo mercado de peixe na Rússia), Iliá Chestakov, declarou na última quinta-feira (9)  que a produção de caviar negro deverá dobrar até 2030.

O aumento da produção, porém, não afetará os preços, segundo ele.

"Podemos dobrar a produção de caviar preto até 2030. Temos vontade e necessidade, e os investidores têm interesse”, declarou.

O esturjão começa a produzir caviar apenas entre o sétimo e o oitavo ano de vida, e, durante o período, o peixe precisa de cuidados.

“O preço do caviar negro pode cair sem um aumento dos volumes de produção, mas pela introdução de novas tecnologias que permitirão retirar o produto mais rapidamente”, disse.

De acordo com os dados da agência, a produção de caviar negro cresceu 3,5% em 2016, chegando a 44 toneladas.

Em 2002, a Rússia impôs uma proibição geral na exportação de caviar negro e, um ano depois, na comercialização de esturjões, com o objetivo de combater a pesca ilegal. Em 2011, a proibição foi suspensa.

Publicado originalmente pelo portal Gazeta.Ru.

Quer receber as principais notícias sobre a Rússia em seu e-mail? Clique aqui para assinar nossa newsletter.

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.