Venezuela atrasa fornecimento de petróleo a Rússia e China

Assim como a Rússia, a China fez grandes empréstimos à Venezuela nos últimos anos, chegando aos US$ 50 bilhões.

Assim como a Rússia, a China fez grandes empréstimos à Venezuela nos últimos anos, chegando aos US$ 50 bilhões.

Reuters
Valor de produto não entregue ultrapassa os US$ 750 milhões. Fornecimento a Moscou é forma de pagamento de empréstimos que somam US$ 5 bilhões.

A petrolífera estatal venezuelana PDVSA está com o fornecimento de cerca de 10 milhões de barris de derivados do petróleo atrasado à principal petrolífera russa, a Rosneft, e à chinesa CNPC.

Segundo dados divulgados pela própria PDVSA, 45 entregas da commodity foram prejudicadas.

Há diversas razões para o não cumprimento das obrigações pela petrolífera venezuelana, de acordo com especialistas, como falhas na operação das refinarias de petróleo, falta de instalações de armazenamento, atraso na limpeza de petroleiros, conflitos financeiros com empresas de serviços e problemas logísticos.

Além disso, o volume de produção da PDVSA caiu para o nível mais baixo dos últimos 23 anos. Na atualidade, a petrolífera produz apenas 2,5 milhões de barris por dia.

Nos últimos anos, a Rússia emprestou quase US$ 5 bilhões à Venezuela, que deveria pagar a dívida por meio de fornecimentos de petróleo e combustível.

Já os empréstimos feitos pela China à Venezuela ultrapassam os US$ 50 bilhões.

A Rosneft se recusou a comentar a situação.

Com os jornais RBCRg.Ru e Izvêstia.

Quer receber as principais notícias sobre a Rússia em seu e-mail? Clique aqui para assinar nossa newsletter.