Sanções transformam empresário da pesca no mais novo bilionário russo

Orlov em frente a embarcação para pesca no cais de Murmansk, no Extremo Oriente russo

Orlov em frente a embarcação para pesca no cais de Murmansk, no Extremo Oriente russo

Getty Images
Banimento de importação de alimentos estrangeiros, introduzido pelo Kremlin em resposta às sanções dos EUA e UE, alavancou consumo no mercado interno.

A agência de notícias Bloomberg, especializada em mercado financeiro, anunciou o surgimento de um novo magnata na Rússia: Vitáli Orlov, coproprietário da gigante de pesca Karat Holding, estimada em US$ 1 bilhão.

“Orlov construiu uma fortuna que Bloomberg Billionaires Index [Índice de Bilionários da  Bloomberg] estima em US$ 1 bilhão, beneficiando-se das forças de colisão do comércio global e das sanções que hoje marcam a Rússia de Vladímir Putin. Embora 60% das vendas de sua empresa sejam feitas para fora do país, observou-se um aumento no consumo interno, uma vez que as sanções limitam as importações de alimentos”, escreveu a Bloomberg.

Como resultado, a Norebo Holding, que faz parte da Karat, começou a atender a demanda interna de carapau, arenque e capelim (Mallotus villosus) sem reduzir o volume de suas exportações de peixe.

Orlov trabalha na indústria pesqueira desde 1993 e, embora seja o mais novo bilionário russo, seu nome não consta nas listas de empresários mais influentes.

Sua primeira empresa, a Ocean Trawlers – juntamente com a Norebo, agora parte da Karat – foi fundada quatro anos depois. O empresário também está no comando de outras duas companhias, a Murmansk Trawling Fleet (Frota de Pesca com Arrastão de Murmansk) e a empresa de capital aberto Rybprominvest.

Quer receber as principais notícias sobre a Rússia em seu e-mail?
Clique aqui para assinar nossa newsletter.

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.