Para driblar Ucrânia, Rússia negocia envio de gás à Europa pela Turquia

Parte do South Stream será reaproveitada para linhas subaquáticas

Parte do South Stream será reaproveitada para linhas subaquáticas

Aleksêi Kudenko/RIA Nôvosti
Moscou e Ancara voltaram a discutir construção de duas linhas do Turkish Stream. Um dos objetivos é transportar gás ao sudoeste europeu sem atravessar o território ucraniano.

Rússia e Turquia estão avaliando a construção de duas linhas do gasoduto Turkish Stream, das quais uma será destinada ao fornecimento de gás para a Europa, informou o ministro da Energia russo, Aleksandr Novak, em entrevista ao canal Rossiya 24. As negociações foram reiniciadas após a retomada de relações entre os países.

“Estamos atualmente conversando sobre a onstrução de duas linhas. A segunda é para os clientes europeus, consumidores de países no sudoeste da Europa; esta também poderá ser implantada no fundo do mar Negro, com rota através da Turquia”, disse.

O ministro destacou que, devido ao possível aumento do custo de trânsito através da Ucrânia, o interesse do Turkish Stream cresceu tanto para Turquia, como para Rússia.

“É claro que, se o custo de trânsito seguir as declarações dos líderes ucranianos, isso irá afetar o custo de transporte e o preço final para os clientes turcos. Por isso, a Turquia está interessada no envio direto de gás, eliminando intermediários”, explicou.

Segundo Novak, a iniciativa também poderá aumentar o papel da Turquia como um ponto de trânsito no fornecimento de gás.

“Podemos chamá-la de ‘hub de gás’. Sabe-se que a Turquia tem um grande número de projetos. Nesse sentido, o país desempenharia um grande papel como ponto de trânsito para garantir o fornecimento de gás aos consumidores europeus”, disse.

O gasoduto Turkish Stream foi anunciado pelas autoridades russas em dezembro de 2014, como um substituto para o projeto South Stream. Segundo o plano original, a seção marinha do gasoduto compreenderia quatro linhas subaquáticas, com capacidade de 15,75 bilhões de metros cúbicos cada. O duto deve percorrer 660 km no antigo corredor do South Stream e 250 km no novo, rumo à parte europeia da Turquia.

Retomada gradual

O projeto havia sido congelado após as forças aéreas turcas abaterem um bombardeiro Su-24 russo por suposta violação de espaço aéreo. Além de brecar as negociações do Turkish Stream, o episódio levou a graves tensões nas relações entre os dois Estados.

Novak, que reuniu-se recentemente com o ministro da Economia da Turquia, Nihat Zeybekci, ressaltou que os países estão empreendendo diversos esforços para restabelecer as relações econômicas ao patamar anterior.

“[Na reunião] nós abordamos todas as questões relacionadas com o desenvolvimento da nossa cooperação comercial e econômica, e questões-chave da cooperação social relacionada ao setor de energia”, declarou o ministro russo.

No final de junho, o presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, enviou uma carta a seu homólogo russo, Vladímir Pútin, na qual pediu desculpas pelo avião abatido e expressou interesse em contornar o atual impasse.

Depois de uma conversa por telefone, os líderes, que se encontrarão no dia 9 de agosto, em Moscou, ordenou as autoridades russas a iniciarem as conversações com a Turquia para o restabelecimento da cooperação no comércio e em outros setores.

Publicado originalmente pela agência de notícias Tass

Gostaria de receber as principais notícias sobre a Rússia no seu e-mail?   
Clique aqui para assinar nossa newsletter.

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.