Rosneft e venezuelana PDVSA criam joint venture de serviços petrolíferos

Brasil e Venezuela facilitam penetração de estatal russa na América Latina

Brasil e Venezuela facilitam penetração de estatal russa na América Latina

Lori/Legion-Media
Estatal russa que detém controle do projeto do Solimões, no Brasil, amplia presença na América Latina. Novo acordo para exploração de outros campos é esperado para julho.

A estatal russa Rosneft e a PDVSA (Petróleos de Venezuela) estabeleceram uma nova joint venture para prestar serviços petrolíferos. Os países também planejam assinar em julho um acordo para a produção conjunta de gás nos campos de Patao e Mejillones.

“Nós aprovamos a constituição de uma joint venture para serviços na Venezuela – plataformas e todos os serviços para a indústria petrolífera. Cada qual com 50%. Teremos a possibilidade de perfurar os nossos próprios poços, sem depender de empresas de serviços”, disse o presidente da PDVSA, Eulogio del Pino, no Fórum de São Petersburgo.

A Rosneft adquiriu, em maio, uma participação de 23,33% na PetroMonagas (sua joint venture com a PDVSA que produz petróleo crudo pesado) por US$ 500 milhões, elevando sua participação para 40%.

Em 2015, a produção de petróleo da PetroMonagas ultrapassou 7,7 milhões de toneladas, e hoje a empresa produz mais de 130 mil barris de petróleo pesado ao dia.

Paralelamente à PetroMonagas, a Rosneft e a PDVSA desenvolvem outros quatro projetos na Venezuela, cujas reservas geológicas de petróleo são estimadas em um total de 20,5 bilhões de toneladas.

“Também estamos trabalhando e já estamos perto de assinar um acordo para um enorme projeto de gás offshore em Mariscal Sucre, no nordeste da Venezuela. Estamos concluindo todos os estudos para a produção em dois campos, Mejillones e Patau”, disse Pino, acrescentando que o presidente da Rosneft, Ígor Sétchin, visitará a Venezuela no final de julho.

No ano passado, após encontro em Caracas com o presidente venezuelano Nicolás Maduro, Sétchin anunciou que em 2019 o volume de investimentos da companhia russa no país chegará aos US$ 14 bilhões.

Além da cooperação na Venezuela, a estatal russa tem investido no Brasil para reforçar sua posição no mercado energético da América Latina. Um acordo de US$ 55 milhões entre a Rosneft e a PetroRio, firmado no ano passado, definiu a transferência de 55% do capital acionário e o controle do projeto da bacia de gás do Solimões à petrolífera russa.

Com material da agência de notícias Tass

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.