Rosneft vende à Índia metade de jazida estratégica

Queda dos preços de recursos energéticos encolheu verba para exploração

Queda dos preços de recursos energéticos encolheu verba para exploração

Evguêni Biatov/RIA Nôvosti
Decisão da petrolífera estatal foi tomada após fracasso de negociações com investidores chineses. Acordo deve atrair financiamento externo para exploração de novas jazidas.

A Rosneft, a maior petrolífera russa, decidiu vender quase metade de sua principal jazida na Sibéria Oriental a investidores da Índia. A empresa vai transferir 26% da ações do campo Vankor à estatal indiana ONGC, e 23,9% às companhias Oil India, Indian Oil e Bharat PetroResources.

Segundo a assessoria de imprensa da Rosneft, a jazida possui reservas de 500 milhões de toneladas de petróleo e 182 bilhões de metros cúbicos de gás condensado. “O acordo e outros documentos serão assinados o mais rápido possível”, declarou um porta-voz da petroleira russa.

As negociações com a Índia, porém, só evoluíram após diversas tentativas infrutíferas de atrair investimentos chineses para a exploração da jazida.

“A Índia é um parceiro mais fácil para negociar e, ao contrário da China, está mais interessada na cooperação puramente comercial”, diz o analista da empresa de investimentos Premier, Iliá Balákirev, acrescentando que “as empresas indianas não são tão agressivas nas negociações”.

Outro fato que contribui para substituir os possíveis investidores chineses foi a desaceleração econômica de Pequim. Enquanto o PIB da Índia cresceu 7,4% em 2015, a economia da China avançou em torno de 6,9% no mesmo período.

Embora o valor da transação não tenha sido anunciado, o jornal indiano “The Economic Times” estima que os contratos somarão quase US$ 3 bilhões.

Caso o acordo seja assinado nessas condições, a transação será, segundo o jornal russo “Vedomosti”, a maior dos últimos anos no setor de petróleo e gás. Além disso, os parceiros indianos serão capazes de ajudar a atrair financiamento externo para a exploração desta e outras jazidas. 

“Devido à queda dos preços dos recursos energéticos, as empresas petrolíferas carecem de financiamento na exploração geológica e no lançamento das novas jazidas”, diz o analista da empresa de investimentos Finam, Aleksêi Kalatchev.

A Rosneft planeja ainda comprar 49% das ações da petrolífera indiana Essar Oil Limited em 2016 e começar a fornecer anualmente 10 milhões de toneladas de petróleo a essa empresa.

A Essar Oil Limited detém mais de 2.000 postos de gasolina e uma refinaria indiana que produz 20 milhões de toneladas de petróleo ao ano.

China, Índia e mais

Em novembro de 2014, a Rosneft e a petroleira chinesa CNPC chegaram a assinar um acordo para a venda de 10% da jazida Vankor. A transação foi discutida na presença do presidente russo, Vladímir Pútin, e de seu homólogo chinês, Xi Jinping, mas não foi concretizada.

“A parte chinesa não conseguiu oferecer um preço acessível para o ativo”, explica o analista da MFX Broker, Aleksandr Gritchenkov. “Não acho, contudo, que se deva falar desse acordo como uma reorientação da cooperação com a China para a cooperação com a Índia”, completa.

Segundo o analista, a Rosneft tem por objetivo construir parcerias com diferentes países, obtendo, assim, um leque maior de opções. “A Índia é uma alternativa ideal, por ser um país muito promissor para as exportações de petróleo russo”, arremata Gritchenkov.

Quer receber as principais notícias sobre a Rússia em seu e-mail? 
Clique aqui para assinar nossa newsletter.

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.