Rosatom abrirá centro de tecnologia nuclear na Bolívia

Clima político não afetou parcerias internacionais da Rosatom

Clima político não afetou parcerias internacionais da Rosatom

Press photo
Exposição em La Paz apresentou tecnologias de estatal russa. Com sede latino-americana no Rio, Rosatom almeja também construção de quatro usinas no Brasil.

A Rosatom, que recentemente fechou um acordo com a Bolívia para desenvolver energia nuclear no país, realizou na semana passada um seminário em La Paz para apresentar suas tecnologias e dar prosseguimento aos contratos.

O projeto mais relevante das negociações é, segundo o ministro de Hidrocarbonetos e Energia boliviano, Luis Alberto Sanchez, a construção de um Centro de Ciência e Tecnologia nuclear.

“É um empreendimento revolucionário, que vai trazer um avanço tecnológico para o país”, declarou. A construção do centro abrirá a possibilidade de usar tecnologias nucleares modernas tanto na área médica, como em agricultura e pesquisa científica.

“O presidente Evo Morales pediu que esse projeto fosse feito rapidamente e só podemos agradecer à Rosatom por todo “, acrescentou Sanchez.

O embaixador russo na Bolívia, Aleksêi Sazonov, reforçou as diversas possibilidades de aplicação da tecnologia nuclear. “Permite lutar de forma eficaz contra doenças oncológicas, estimular o desenvolvimento da agricultura e da ciência”, destacou.

Em meados deste ano, a Rosatom abriu no Rio de Janeiro sua sede na América Latina. A estatal, que também organizou na época uma mostra para apresentar sua tecnologia, vem expressando interesse em participar dos planos brasileiros de desenvolvimento de energia nuclear, incluindo a construção de quatro usinas atômicas até 2030. 

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.