Governo vai emitir títulos da dívida pública em yuans

Primeira emissão de títulos em yuans é prevista para 2016

Primeira emissão de títulos em yuans é prevista para 2016

Reuters
Meta é atrair investidores da China para substituir empréstimos ocidentais. Economistas são céticos quanto a perspectivas da iniciativa e alertam para riscos do regime de livre flutuação da moeda chinesa.

O governo russo planeja emitir títulos da dívida pública em yuans para substituir empréstimos de órgãos ocidentais. O volume dos títulos, que serão colocados na Bolsa de Moscou, poderá ultrapassar os 6,4 bilhões de yuans.

“A primeira emissão de títulos em yuans é prevista para meados de 2016”, anunciou o vice-presidente do Banco Central da Rússia, Serguêi Chvetsov.

“As autoridades financeiras russas não escondem o fato de que essa primeira emissão em yuans é apenas uma tentativa de criar um índice de referência e estimular a demanda por esse instrumento financeiro”, acrescentou Chvetsov.

Os especialistas, porém, são céticos quanto às perspectivas de levantamento de fundos com a venda de títulos da dívida pública russa.

O diretor de infraestrutura regional da Rus-Rating, Anton Tabakh, aponta, por exemplo, para a cautela escessiva dos investidores chineses, que “podem não se interessar pela oferta do governo russo”.

Além disso, os riscos cambiais associados ao yuan, que não tem um regime de livre flutuação, também poderia assustar os investidores. “Se a China decidir desvalorizar o yuan, o reembolso de obrigações pode se tornar uma operação muito cara para o orçamento russo”, destaca o analista sênior do grupo Kalita-Finans, Aleksêi Viázovski.

Com base em materiais do jornal Kommersant e da agência Tass

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.