Nova queda dos preços do petróleo gera alerta em Moscou

Queda no preço do petróleo tem impacto direto no PIB russo

Queda no preço do petróleo tem impacto direto no PIB russo

Shutter Stock/Legion Media
Embora Goldman Sachs preveja novas reduções em virtude de estoque recorde, analistas alertam contra pânico no mercado de petróleo.

Os preços baixos do petróleo levaram a um recorde de estoque nas instalações de armazenagem na Europa e nos Estados Unidos. A oferta excessiva no futuro poderá levar a queda da demanda e consequente maior redução dos preços, afirmam os especialistas da Goldman Sachs.

“O mesmo aconteceu em 1998 e em 2009, quando a demanda caiu, e os preços do petróleo foram drasticamente reduzidos”, explicam os especialistas da Goldman Sachs em pesquisa publicada no final de outubro.

O cenário preocupa os dirigentes da pasta de Economia, já que, segundo relatório do Citigroup, uma queda de US$ 10 no preço do barril de petróleo levaria a redução de 0,8% do PIB russo.

“Não é a primeira vez que os analistas da Goldman Sachs assustam o mercado com previsões da queda dos preços do petróleo”, diz Geôrgui Váschenko, chefe de operações do mercado de ações da empresa de investimentos Freedom Finance.

“Segundo a Goldman Sachs, o preço pode cair até US$ 20 por barril e permanecer nesse nível por décadas. No entanto, é preciso entender que a queda dos preços do petróleo leva ao crescimento do volume de reservas, e não vice-versa”, acrescenta Váchenko.

Para o analista da empresa de investimentos UFS IC, Piotr Dachkêvitch, as reservas vêm crescendo devido a preocupações de possíveis interrupções nos fornecimentos do Oriente Médio. “Não há nenhuma garantia de que esse crescimento necessariamente resultará em uma liberação maciça de petróleo no mercado”, afirma.

O preço do petróleo se mantém em baixa há mais de seis meses e “já corresponde ao preenchimento de instalações de armazenagem”, garante Aleksêi Baskakov, da Finexpertiza. Por esse motivo, segundo ele, haverá apenas uma ligeira redução dos preços até o final de 2015.

No entanto, as medições já estão respondendo às novas previsões negativas. Na quinta-feira passada (29), o preço do petróleo tipo Brent caiu 1,57% até US$ 48,3 por barril.

Expectativas

“A indústria terá que esperar o crescimento da demanda ou reduzir a produção”, alerta  Dashkévitch, da empresa de investimentos UFS IC. “Hoje ninguém quer reduzir a produção. Apenas os produtores mais ineficientes estão saindo do mercado”, completa.

Apesar das previsões, a queda dos preços do petróleo não está levando ao fechamento de depósitos de xisto nos Estados Unidos. “Os preços caíram até US$ 45, mas os EUA continuam a extrair o óleo de xisto”, diz Baskakov. Os depósitos norte-americanos são, segundo os analistas, rentáveis mesmo com o preço de US$ 40 por barril.

No ano passado, o volume de extração de óleo de xisto nos Estados Unidos quase não sofreu alterações, uma vez que as novas tecnologias locais permitem reduzir o custo de produção.

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.