Gazprom converterá parte de seus contratos para rublos

Embora aventada em 2014, planos da Gazprom foram adiados devido à desvalorização do rublo

Embora aventada em 2014, planos da Gazprom foram adiados devido à desvalorização do rublo

Maksim Bogodvid/Ria Nôvosti
Quebra de monopólio e reforço de sanções estão por trás de decisão da estatal. Por outro lado, instabilidade da moeda russa, que perdeu 50% do seu valor desde 2014, dificulta a transição.

A estatal Gazprom, que detém o monopólio russo da venda de gás, planeja converter o pagamento de 10% a 30% de seus contratos de fornecimento para rublos. A decisão deverá ser tomada na reunião do conselho administrativa da empresa na próxima segunda-feira (28).

“A conversão de uma parte dos contratos da Gazprom para rublos é uma iniciativa antiga que nunca teve o apoio dos parceiros comerciais estrangeiros”, diz o professor de economia na Academia Presidencial da Economia Nacional e Administração Pública, Ivan Kapitonov. “O único progresso é a proposta dos chineses de pagar por parte dos fornecimentos em yuan.”

A iniciativa pretende demonstrar, segundo o analista da empresa de investimentos Premier, Serguêi Ilín, a lealdade política da estatal diante da próxima reunião da comissão sobre fornecimentos de gás e de petróleo, que será realizada em outubro.

Especialistas acreditam, que durante o encontro, a Rosneft, maior petrolífera do país, tentará quebrar o monopólio Gazprom para a exportação de gás natural russo.

“A Gazprom também quer converter os pagamentos para se proteger contra o possível bloqueio dos acertos em dólares pelo Ocidente”, afirma o diretor-geral da Hedge.pro, Iliá Butúrlin.

A ideia de migrar os pagamentos para moeda nacional surgiu pela primeira vez após a introdução das sanções contra a Rússia, em 2014. No entanto, a constante desvalorização do rublo freou a implementação da medida.

Decisão na balança

O principal obstáculo para o desenvolvimento dos pagamentos em rublos hoje é a volatilidade da moeda russa. “É difícil converter o comércio para rublos devido à desvalorização do rublo. Os acordos são feitos com base em uma uma moeda mais estável para evitar riscos”, diz Butúrlin.

Ilín, da Premier, acredita que a ideia possa vir a ser importante caso as sanções ocidentais sejam reforçadas. “Para migrar os pagamentos dos contratos para rublos, será preciso adicionar um intermediário financeiro nas transações, cujos serviços devem ser pagos”, explica.

Segundo o analista, o comércio em rublos é um análogo da venda obrigatória de títulos em moedas estrangeiras, e a instabilidade do rublo torna essa medida muito atraente para o Banco Central da Rússia. “Se essa iniciativa for implementada, apenas uma parte dos pagamentos será realizada em rublos, o que será confortável para ambas as partes”, conclui.

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.