Brics colocam em operação fundo de reservas de US$ 100 bi

Acordo sobre a criação de novo instrumento financeiro entrou em vigor em 30 de julho

Acordo sobre a criação de novo instrumento financeiro entrou em vigor em 30 de julho

Shutterstock/Legion Media
Instrumento financeiro visa a socorrer países-membros em crise e garantir estabilidade financeira no Brics (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul).

As reuniões realizadas pelo Conselho de Governadores do Banco do Brics e pelo Comitê Permanente em Ancara, capital da Turquia, à margem da reunião de ministros do G20, marcaram o início das operações do pool de reservas cambiais do Brics.

“As primeiras sessões dos órgãos diretivos marcam o início do funcionamento em grande escala do pool de reservas cambiais do Brics como um instituto internacional que visa à consolidação e ao reforço da cooperação [entre os estados-membros do grupo]”, divulgou a assessoria de imprensa do Banco Central da Rússia.

O acordo sobre a criação do instrumento financeiro entrou em vigor no dia 30 de julho. O objetivo é que o capital funcione como um recurso de salvação para situações de emergência nos países-membros e manutenção da estabilidade financeira do grupo.

As reservas totais reunidas por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul somam US$ 100 bilhões.

Brasil, Índia e Rússia aplicaram cada um US$ 18 bilhões e, por isso, têm acesso semelhante aos recursos do fundo. A China, que entrou com US$ 41 bilhões, só poderá recorrer à metade, e a África do Sul, que colocou US$ 5 bilhões, poderá pegar mais que o dobro emprestado em caso de crise.

Cada país-membro do Brics poderá resgatar livremente 30% dos recursos a que tem direito. Se o valor de empréstimo superar essa margem, será necessário antes fazer um acordo de assistência com o Fundo Monetário Internacional (FMI).

Com material da agência de notícias Tass

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies